Por aí... reflexões de um repórter fotográfico!

Itaara, RS, 2012.
A grande vantagem de ser um repórter fotográfico é poder desfrutar de cenários de locais distantes da morada. Algumas vezes me deparei com estes porquês, pois evidentemente este ofício é pouquíssimo reconhecido financeiramente, embora de extrema importância. Se ocorre alguma desvantagem, o outro lado da moeda é impagável. Presenciar cenários como este é um privilégio para poucos... tanto, que muitos tentam fazer. Obviamente, nem todo fotógrafo ou pretendente a tal oficio é um repórter fotográfico. A atividade diferencia um profissional de outro... pode ser um enquadramento, descrição de uma história em um único frame, também o manuseio de equipamentos bem mais complexos que estes que invadiram o mercado, denominados de semi-profissionais. As digitais superzoom e as reflex de corpo de "plástico" invadiram o mercado fazendo um penca de pseudo profissionais, certamente que eles não sabem lidar com a situação, pois deste pseudo ofício não surge sustento, jamais. Ser um profissional passou a ser na minha visão, um ofício que exige um equilíbrio muito grande entre vida pessoal e vida de trabalho. Onde vc será mandado a lugares distantes, muitas vezes para ganhar um mínimo e ainda por cima parecer equiparado a outros que estão a seu lado, mesmo que vc seja registrado como jornalista de função específica, mesmo que seja sindicalizado, mesmo que seu trabalho esteja anos luz a frente dos paralelos. A verdade é que se trata de um ofício que exige de conhecimento de física, onde o autor é também autodidata e paciente, também incansável na busca do aprimoramento. Eu encontrei uma paz de espírito muito grande depois de anos de trabalho... são horas de reflexão, aproximadamente 200 eventos esportivos. Digamos que já não sou mais um "guri", talvez eu esteja próximo de me tornar um "monstro" da fotografia que sempre sonhei em ser. Ainda não... ainda tenho chão pela frente, mas estou cada dia mais próximo. Tenho somente a agradecer a todas as oportunidades passadas que são tijolos de minha construção. Como sempre disse no Bikes do Andarilho, no fechamento de cada postagem, "Roda pra frente..."