Pra ver o mundo... sexto sentido?

Sapiranga, RS, 2013.

Itaara, RS, 2012.
Algumas pessoas já disseram para mim em determinadas ocasiões: 

"Tu estava no lugar e na hora certa!"

Devo concordar com parte da afirmativa, pois se vc não estiver lá quando o assunto acontece, então ele jamais poderá ser visto por você. A verdade é que muitas coisas acontecem diariamente, porém insistimos em não ver as coisas. Somos doutrinados a não ver! Sei que o olhar tem muita relação com o talento fotográfico, que é uma expressão visual, mas olhar é algo que pode ser alimentado. Se vc tem observação pode ser fotógrafo, olheiro, consultor, assessor, etc. Esta atividade da observação não se resume a uma única profissão...
Aliás, pra ser repórter fotográfico tem que ter um algo mais do que ser fotógrafo, como já disse pelo menos umas 100 vezes. Hoje em dia eu não tenho o medo ou receio da substituição que assombra a muitos colegas... eu seio que sou único, assim como conheço vários colegas insubstituíveis no mesmo ofício. Todos nós temos habilidade diferentes... percepções, conhecimentos e interesses diferentes. Fotografar é o ato de apertar um botão... mas a máquina jamais fará tudo por vc. Se o repórter fotográfico não souber avaliar ou descrever um acontecimento, então ele não é um bom jornalista... ele é apenas um fotógrafo, e nem merece o título de função específica! Penso e vivencio uma série de situações... mas eu sempre digo. Se vc quiser saber exatamente o que aconteceu, pergunte a um repórter fotográfico. Mesmo que ele não estivesse no local no momento do incidente, ele vai falar com as pessoas, observar os fatos, presenciar uma trajetória histórica que vai trazer a verdade ou quase. Ser um vivente com boas noções de física, química, também um excelente observador é 85% de um repórter fotográfico, pq o mundo é feito destas ciências. Ciência é o ato de experimentar, degustar, ter capacidade de avaliar... você pode cheirar, tocar, perceber, então pare, olhe e escute! Eu diria que o repórter fotográfico possui um sexto sentido, isto faz dele diferente de outros profissionais... o repórter fotográfico é um predador! A presa é o assunto... a espada é a máquina fotográfica!