Surreal

Porto Alegre, RS, 2013.
A interpretação é subjetiva... eu jamais pensei em realizar uma fotografia para criar contestações sobre a construção do assunto fotográfico, mas muitas vezes isto se torna inevitável. A arte se mistura em qualquer forma de produção autoral... onde vc coloca suas considerações, experiências e forma de pensar, mesmo que seja sobre uma pintura ou fotografia, então acaba gerando uma forma artística de descrever o assunto. Muitas vezes a realidade sai de um contexto de viabilidade existencial, isto pode ser também chamado de surreal. Afinal, o que quer dizer a imagem que representa uma pé, um cachorro e uma fonte luminosa? Poderia ser um elo de luz entre humanos e caninos? Sim, talvez... 
O branco e preto também gera algumas propositais influências da reflexão, normalmente remete a nostalgia, passado, ou incertezas. 
A verdade é multifacetada no campo fotográfico... eu diria que é preciso experimentar, avaliar, intencionar algo! Criar um impacto, reflexões, também atingir um máximo pessoas, pois a linguagem tem tal finalidade. Soltar informação no vento permite a disseminação de reflexões transformadoras. Obviamente isto é um pensamento idealista, onde é claro meu desejo de uma mudança para nosso futuro, seja político, econômico, também cultural. A educação do brasileiro esta nivelada ao chinelo de dedo... é surreal querer um país melhor nestas condições tão pertencentes ao perfil américa latina. Antes que alguém pergunte ou pense... eu estou realmente sóbrio, não bebo, não uso qualquer tipo de droga, apenas uso o que tenho logo abaixo do cabelo! Cabelo escasso, bem verdade...