Estrada profissional x estrada dos caminhos = vida!

Estrada RS-240, 2014.
Este final se semana foi de grande dedicação... trabalhei na cobertura fotográfica no qualify do campeonato gaúcho de downhill, em Feliz. No domingo fiz a conbertura do audax 200 km  da Sociedade Audax de Ciclismo de Capão da Canoa até as proximidades de Cambará do Sul. Rodei com o carro uma distância que superou 700 km em dois dias, produzi aproximadamente 1200 imagens, sendo 800 para a prova de longa distância e cerca de 400 para a galera que voa alto nas pistas de dh. O sabor de exercício da função, mesmo que muitas vezes excessivamente cansativo, fica parecido com a conquista que vi nos olhos dos ciclistas e pilotos. Eu ganhei medalhas virtuais juntamente com as verdadeiras dos atletas. Eu vi a estrada de perto, cenários lindos da urbanização e da natureza... vi animais silvestres, vi sorrisos de quem se divertia em ir para o extremo desempenho, vi os km parecerem minutos consumidos da vida. O valor da vida é maior que tudo e me deixa muito triste perceber que as pessoas estão sendo irresponsáveis no trânsito, onde por sorte, as baixas desta guerra não são tão expressivas como poderiam, de acordo com a conduta dos motoristas no trânsito. Eu sei que é perigoso, sei que sempre que pegamos a estrada, corremos o risco eminente de não voltar. Contudo, não é errado ir... errado é o jeito com que as pessoas enxergam os automóveis, a maneira de conduzir é o problema. Talvez um dia exista um sistema que impeça o motorista de se comportar desta forma, quando a voz da população for realmente decisão sobre um erro de um motorista. Digo de forma preventivamente... antecipada, quando alguém pratica a direção perigosa, ou até mesmo erros em outras maneiras de se comportar em sociedade, será coibido permanentemente de manobrar um veículo. "Armas não matam pessoas, carros não matam pessoas... pessoas matam pessoas!"
Espero que este post "chato" possa gerar alguma reflexão, para que as pessoas um dia possam evitar um acidente e uma vida deixe de ser perdida. O papel do Andarilho é conscientizar... entreter, alegrar, tornar do conhecimento das pessoas algumas realidades, mas acima de tudo, garantir a integridade das pessoas de bem.