On the air... as pegadas que vi!

Nova Hartz, RS, 2013.
Deveria deixar este tipo de abordagem para o Bikes do Andarilho, porém, quem passa por aqui não necessariamente passa por lá... e por outro lado, o leitor de lá já conhece o trabalho e o perfil de material que passa por lá. Posso dizer que nunca imaginei aonde eu chegaria com minhas aspirações, com minhas iniciativas reflexivas, contudo, acho que em toda estrada é inevitável uma consequência. E neste caso, a atenção que conquistei das pessoas, acaba sendo um prêmio. É muito bom ter voz (ou texto lido)...
Nesta jornada de repórter fotográfico acabei descrevendo uma história bastante interessante, talvez "cunhada" a ferro da insistência. Estou a tantos finais de semana trabalhando nos eventos esportivos da bicicleta que acabei percebendo que já não sou um menino no exercício do trabalho. Uma vez, um mestre da fotografia me disse: "Roberto, tu é só um menino, mas teu trabalho esta ficando incontestável!" Foi então que percebi que olhando para trás havia pegadas em direção ao horizonte, pegadas que sumiam no infinito visível. Estranhamente, em alguns momentos me sinto um guri (garoto), em outros, um adulto cuja limitação começa a apresentar o fim de alguns adjetivos da juventude. Me sinto energizado para muitos trabalhos que tantos refugam e com a experiência que os jovens não possuem... acho que é normal sentir isto, mas é um pouco assustador. Eu não sei onde vou acabar... minha estrada é inicial, ainda que eu tenha 200 eventos oficiais da bicicleta cobertos pelo meu olhar. Me tornei uma pequena referência de trabalho neste segmento, algo que nunca imaginei. Alguns amigos e colegas fotógrafos já me disseram isto... um deles me perguntou: "Como isto aconteceu?" e eu disse: "Eu fui a tudo que podia, acordei cedo sempre, dirigi centenas de quilômetros em um único dia, queimei o dedo na máquina fotográfica, escrevi e soltei no vento o meu trabalho!" Já fui em diversos lugares, conheci pessoas, e até mesmo equilíbrio de uma bicicleta pela objetiva da câmera. Eu me tornei resultado de mim mesmo... eu aproveito um momento "on the air!" Me tornei único, me tornei referência de trabalho, copiado por aqueles que querem experimentar o mesmo lugar... seja aqui ou em SP, SC, etc
Fico feliz de saber que me tornei referência, pq lutei muito para isto... e digo aos que vierem em parecidas pegadas: "não percam a humildade, pois é ela quem ensina! Não deixem de ajudar os colegas... pq ninguém vem ao mundo sabendo e não é preciso ter medo de ser substituído. Só um tolo acredita que um pouquinho de ajuda pode substitui a experiência!"