Jornalista... sem limites!

Brevet 300 km Sociedade Audax de Ciclismo 2014
Jornalista

Um jornalista existe em inúmeras versões... nestas, esta a particularidade irreparável de qualquer forma quando extinta pelo ciclo de vida. Não há um igual ao outro... talvez, parecido! Nós já percebemos estas particularidades quando personalidades se vão. Afinal, o que deve ter ou ser um jornalista? Eu acho, que ele deve ser e viver um objetivo de se expor e coexistir. Alguns serão completamente imparciais, outros serão críticos... alguns serão cinegrafistas, outros serão fotógrafos, ainda existe o diagramador, não diminuímos qualquer das atividades jornalísticas! As áreas são variadas... policiais, esportes, variedades, futilidades! Contudo, existe um tipo de jornalista que é diferente de tudo... ele é um pouquinho de tudo, as vezes muito bom em um adjetivo específico, por vezes, junta duas habilidades. Estes, são aqueles que se destacam, tornam-se indispensáveis aos seus meios e sabores, também aos invejosos que almejam a superação por referenciamento! Alguns são cinegrafistas excelentes, outros são redatores categóricos! Ainda nos habilitados a escrever, ocorrem aqueles fiéis, formais, rígidos como um rochedo! Invejo os colegas... eu sei exatamente meu lugar! Fui medido, aprovado, simplificado... repórter fotográfico! Contudo, tem algo que não vou esquecer e nunca ninguém vai me impedir, tal e qual deve ser o comportamento do jornalista... escreverei para promover a reflexão, diferente, para tentar mudar o mundo, mesmo que jamais ocorra! Escrever é uma habilidade presenteada divinamente... quem tem esta habilidade, e não estou me incluindo ou excluindo da mesma, jamais deveria se permitir evitar a redigir frases transformadoras. Elas pertencem ao mundo... não a categorias, egos e jogos do interesse.


Sem limites

Quando sou convidado para fotografar ciclistas na estrada fico muito pensativo... esta é uma atividade a qual já pertenci em ambos os lados. Eu já fui um ciclista da longa distância, hoje, repousando sem data para voltar, devido a questões diversas, mas não definitivas. Na estrada não temos limite para a mente... a mente voa, despenca uma ladeira que aos olhos parece uma subida interminável! Esta gana de vencer é uma motivação da mente, cuja a origem se desconhece a força, mas que resulta em um efeito fantástico para atravessar a estrada infinita. Infinita? Não... audaxiosos não visualizam a interminável tarefa, custe o que for, eles atravessam o tempo como predadores atrás de um prêmio. O prêmio é um segredo para si mesmos... vc, se não fizer, jamais vai saber o que significa. Desculpe não poder descrever, mas receio que algumas tarefas não são viáveis. Não dá pra descrever esta sensação... vc vai ter que viver a mesma!