Precisa-se de carpinteiro...


Pelas ruas vão as pessoas e as marcas ficam... são feitos e dizeres, de toda natureza. Pelas ruas vai o olhar de um sedento registrador de fatos e atos, são parábolas do tempo. Irreversíveis, incorrigíveis, impensadas, motivadas pelo presente, perpetuadas para sempre pela caixa mágica. As imagens podem não ter relação para todos, tocam apenas alguns, talvez elas possam mudar o mundo, possivelmente não! Nas paredes residem grafites, placas e emoções... dali jamais sairão, mas precisa-se de carpinteiro!