Beija-flor

Porto Alegre, 2010.
Raro é ver o inquieto e ágil pássaro sobre um pequeno galho. Beija-flor remete a ideia até de serenidade, mas a verdade é que a vida deste pássaro é uma tremenda correria. Quem observa sabe...
Certa vez um deles fez ninho em uma peça usada como depósito, na casa dos meus pais em Teresópolis, e lá ele teve seus filhotes. A oportunidade de convívio foi um presente, volta e meia estava lá, tal pássaro, repousando de uma corrida que fazia de lá pra cá... do ninho para a busca do alimento. Beija uma flor, beija duas, três... talvez milhares em um único dia. Imagina o que é... talvez seja como viajar de carro por 1000 km. Sabe lá a distância que o bichinho percorre. De fato, são encantadores.