Lugar algum... ou melhor, lugar nenhum!

Litoral do Rio Grande do Sul, 2014. Fotografia: Roberto Furtado

Viver é algo muito relativo... tenho certeza que há pessoas capazes de viver intensamente mesmo que dentro de suas próprias casas e, outras capazes de não viver nada mesmo estando no paraíso que ilustro nesta postagem. Sonhar... sonhar é preciso, sonhar, iludir-se, usar a imaginação! Pessoa sem imaginação é uma pedra! Como deve ser chato não ser capaz de sonhar ou imaginar. Como deve ser estagnada esta vida de inexistência reflexiva! Me contento com aquilo que posso na materialização da realidade, mas sonho, dormindo ou acordado e tal me faz realizar as perguntas que preciso para encontrar um caminho. Mesmo que este caminho seja fisicamente nenhum... e nenhum lugar é um algo tão especial. Quando um dia eu mostrei uma imagem como esta acima e uma pessoa disse: "afinal, pq tu gosta tanto deste lugar se não há nada lá?" 
E sem saber como explicar para uma tábua de madeira pq 2 + 3 é igual a 5 ou quem sabe até afirmar como é gostoso o amor, disse: "Ora, deve ser pq fui criado na praia...". E de outra forma a pessoa jamais entenderia. E se há tanta insensibilidade, há também tantos motivos para viver e experimentar o sabor do mundo com os olhos. A imagem acima é de lugar nenhum... fato!