As mídias pagam... mas então? Faz quem quer...


        Não sei se sempre foi tão mal pago, mas hoje é especialmente mal pago... o trabalho de repórter fotográfico, muitas vezes como freelancer e contratado por agências, transformou-se na prostituição de uma profissão que antes tinha uma boa reputação.  As agências estão pagando somente se vendem o material, geralmente por uma miséria. Tem agência pagando menos de 5 reais por uma boa foto... Os jornais, pagam 30 reais, talvez 40, se for algo realmente bom e exclusivo. 
A referência sobre o fotojornalista ser a prostituta da fotografia é pq se vende por qualquer coisa. Destruição total da reputação! Tem tantos profissionais fracos, inclusive não registrados, que aos demais resta um esforço sem alteração de resultados. Ao comparar trabalhos realizados no Brasil com trabalhos realizados no exterior, percebe-se que um grande problema desta profissão esta na cultura brasileira, pois de outra forma não seria respondida a questão de uma imagem valer 70-200 dólares para um jornal no exterior contra os 5-30 reais no Brasil.
Quem entra no fotojornalismo tem duas certezas... que vai padecer e que faz uma coisa que ama! Se em algum momento vc pensar que pode sentir falta do dinheiro que o fotojornalismo não vai te dar, então nem entra nesta. A culpa é de quem mesmo? A culpa é nossa... a gente aceitou, os mais velhos primeiro, nós agora, o editorial dos jornais e revistas estão se esforçando nisto há tempos. O jornal sempre tem um dono... que quer pagar menos, que pressiona a redação ao pagamento reduzido, etc. A mídia prefere "ganhar" uma foto de celular de um leitor do que comprar uma foto profissional. E aliás, sabe muito bem a mídia, que normalmente é composta por jornalistas, que um fotojornalista leva anos para ser formado, embora nem mesmo exista nível superior para isto, exceto a faculdade de Jornalismo. Só que as empresas querem pagar o repórter fotográfico com salário de acordo, não com nível superior, pq o valor praticamente dobra.
O que acontece é o esquecimento total de um ofício pela educação, prostituição da profissão... "dá dinheiro trabalhar com casamento!", é a frase mais falada entre os fotojornalistas, e muitos, depois de anos insistindo, vão para o lados das festas familiares. Lamentável é ver alguém apto e apaixonado por um ofício debandar para algo muito diferente do que objetivou no início. É uma verdade tais fatos, mas é uma realidade bastante brasileira. É alimentar negativamente um sistema da informação.