E da minha natureza... tal de fotojornalismo!


Este conto sobre o sapo e o escorpião descreve bem a "natureza" do fotojornalista... é da minha natureza ser persistente, resistente e seguidor do ideal. Talvez, responda também pelo cansaço que a profissão oferece, de tipos diferentes. Fotojornalista corre atrás do trânsito, com velocidade e peso nas costas, contra a maré que todos fogem quando o assunto é protesto. Cansa também pela falta de reconhecimento do sistema, mas tu pode olhar bem a mão do PM... ela segura com força o escudo. No dedo há também uma aliança. A representação da imagem descreve o fotojornalismo parecido com os princípios e necessidades de outras profissões. Tem que ter amor e força pra tocar a vida profissional adiante... Fotojornalista esta sozinho no mundo, ele vai para clicar e viver, mesmo que algumas pessoas digam que "isto é bom para morrer ou apanhar"! 

O Sapo e o Escorpião

Certa vez, um escorpião aproximou-se de um sapo que estava na beira de um rio. 
O escorpião vinha fazer um pedido:
"Sapinho, você poderia me carregar até a outra margem deste rio tão largo?"

O sapo respondeu: 
"Só se eu fosse tolo! Você vai me picar, eu vou ficar paralisado e vou afundar."


Disse o escorpião: 

"Isso é ridículo! Se eu o picasse, ambos afundaríamos." 
Confiando na lógica do escorpião, o sapo concordou e levou o escorpião nas costas, enquanto nadava para atravessar o rio.  
No meio do rio, o escorpião cravou seu ferrão no sapo. 
Atingido pelo veneno, e já começando a afundar, o sapo voltou-se para o escorpião e perguntou: 
"Por quê? Por quê?" 

E o escorpião respondeu: 
"Por que sou um escorpião e essa é a minha natureza."