Fotojornalismo... por vezes, também amargo!

 Matéria parcial do Jornal do comércio, de 18.03.2015, agência Futura Press, fotojornalista Roberto Furtado.
        Muitas vezes, quando abordado, ouvi afirmações sobre quem faz o que gosta não tem do que lamentar, contudo nesta pauta não pude responder que sim. Como ativista da bicicleta, fui fotografar a homenagem realizada para o Arquiteto Joel Fagundes. Se eu já estava extremamente triste com a notícia da perda de um ciclista, quando lá estive senti juntamente com os colegas uma nova triseza por visualizar o incidente no local. A gente faz um trabalho que acredita e gosta, mas algumas vezes ele se apresenta muito amargo. É inevitável a sensibilização por pauta desta natureza... é lamentável!