Tsunami é a mente da gente!

Pier de Monterrey. Monterey, CA, 2014. Foto: Roberto Furtado.com

       A vida do repórter fotográfico é uma verdadeira e estranha turbulência mental... Se o profissional sai de folga, encontra entre um olhar e outro, alguma coisa que poderia ser clicada. Vai junto com a esposa para um passeio, e diz: "Olha ali... dava uma pauta, com certeza!" 
Em cada roteiro, de qualquer natureza, esta uma oportunidade. Os olhos são atentos, mente ligada no propósito para que nasceu, coração focado no assunto que costuma arrebentar... sabe fazer pauta de acidente ou de política, esportes, questões sociais! É incansável naquilo que se objetiva... cansativo isto! Incansável em cansativo? É... o corpo não é de ferro, nem a mente! Ela se esgota, mas precisa disto! Vai na casa da mãe passar o dia... um ouvido treinado escuta uma forte batida de automóvel. Sai correndo que nem um lunático e chega sempre antes dos agentes de trânsito, polícia e ambulância. Conhece a cena quentinha, antes da poluição! Nem pensa em quanto vai ganhar... ele sabe que nasceu pra isto, cada publicação é uma medalha pesada que o risco assumido fica eternizado. Nem sempre volta pra casa... vira noite, vira dias, puro trabalho, sem malícia! Uns, as vezes jamais voltam... viram zumbis, perdem família, alguns perdem a vida! Feio? Feio é viver sem propósito, não ter garra! Viver e morrer fazendo o que se gosta é impossível de medir! Contudo, muitos ficam velhos... morre sabe quando? Quando tiram a máquina fotográfica das mãos... aí, não tem Deus que resolva. Repórter Fotográfico sem material é como criança sem bola ou bicicleta. É uma vida de possessão... a máquina possui o corpo!
Se a mente de um profissional RF funciona assim... 24 horas sem parar, 60 minutos por hora, dorme e acorda 365 dias do ano neste estado vegetativo, então, não dá pra dizer outra coisa. Não há tempestade, terremoto, tsunami que derrube um profissional que encontra seu lugar. Seu lugar é com as mãos na máquina fotográfica, enquadrando tudo com a mente, se vai morrer, então que corra, pq quanto mais pautas fizer, mais feliz será!