O conflito

Atenção, esta imagem foi realizada em um exercício promovido pelas forças brasileiras. Os feridos são "atores" em simulação de conflito. Trata-se de um treinamento em solo brasileiro, onde ninguém foi verdadeiramente ferido. 
Sempre vejo os filmes, documentários e relatos de guerra ou conflitos. Há uma infinidade de produções que descrevem as histórias de um povo contra outro povo. Quanto mais eu vejo, mas reflito em questões como as perdas, que não são apenas de um soldado. As perdas se estendem a dignidade humana, ao desencontro de soluções diversas, a perda e dor de famílias. Me pergunto de onde tira energia um governante para enviar um semelhante para algum lugar com o único propósito de matar ou morrer. Neste mês das crianças, lembro-vos quantas crianças morreram nas estúpidas guerras. As que sobreviveram, morreram por dentro, então... e evidentemente, eu e vc podemos fazer muito pouco para que isto não aconteça em algum lugar. Entendo pq muita gente se aliena e desiste de pensar... meu plano de ser um fotógrafo de paz incide sobre o conflito, mas ainda não estou pronto. Devo dizer que isto é uma longa caminhada que exige maturidade até para não morrer por dentro. Não espero que alguém responda esta publicação, pq entendo, pq é um assunto desinteressante para muitos, pq há coisas belas para pensar na vida. Ninguém pode levar uma mensagem de paz contra o terrorismo... pq onde há um bloqueio de uma segunda opção, torna-se o vivente uma máquina que só pára com o fim. Me pergunto que cultura é esta que permite a salvação por perdas... a evolução, espiritual, se dá nas escolhas que sejam benéficas ao mundo. Acho que muitas pessoas devem achar estranho o fato de eu, um repórter fotográfico, escrever tanto... tentar entender! A verdade é que eu não entendo um repórter, seja cinegra ou fotógrafo, não escrever nem mesmo uma legenda.