O lugar do teu coração...

              
            Muitos são os ofícios que nos permitem viajar... algumas vezes é um lugar perto, outras vezes nem tanto. Alguns possuem trabalhos que permitem parar pelo período de uma viagem distante... outros, não conseguem por questões pessoais. Consegui andar em muitos lugares, grande parte das oportunidades em função de trabalho, mas existe sempre um lugarzinho queridão para nós. Já percebi que as pessoas possuem diferenças... algumas nem gostam de viajar, o que me deixa sem entender tal situação. Fui para alguns lugares, conheci muitas cidades, grande parte delas aqui no Rio Grande do Sul, mas conheci cidades no exterior, com toda carga cultural que cada lugar pode oferecer. Trabalhando a gente não aproveita muito... muitas vezes nem sobra tempo para isto. Algumas vezes eu converso com as pessoas sobre os lugares, para saber onde estiveram, para compartilhar minhas experiências. As pessoas se espantam quando digo que conheço alguns lugares onde muitos sonham em ir e digo que prefiro um lugar como a imagem acima. Uma praia deserta, um acampamento sem compromisso, sem hora, sem data para partir. Eu fico sentado na areia, olhando para o nada e "pensando" na beleza natural, na vida selvagem, no vento, nas diferenças entre a cidade de concreto e um lugar quase intocado. Muitos são os aventureiros que preferem as ruas asfaltadas... não vou dizer que não gosto, pq adoro caminhar pelas vias de grandes centros, mas eu tenho predileção por areia, água e brisa. Aprendi muitas coisas nesta vida... aprendi a perder as certezas, mas aprendi do que gosto, do que preciso. Me divirto com momentos dos quais não tenho nenhuma habilidade, como dançar, mas aprecio mais quando faço uma fotografia, mesmo calado, sozinho, com os pés na água e esperando o tempo passar como se não tivesse nada para fazer. Sentir o sol no rosto, a areia que entra entre os dedos dos pés, o clique da câmera para eu garantir a lembrança, a mudança de tudo para mim, as minhas perspectivas. Não sei se gosto mais de mim ou do mundo, eis uma dúvida que me ocorreu... talvez sejam situações inseparáveis para avaliar. Acho que eu gosto do mundo pq gosto de mim... acho que agora acertei. Entre São Francisco e minha praia deserta... fico com a praia. Levo minha barraca, ou durmo no carro, faço meus arremessos pesqueiros, durmo no calor da areia. Sensações são as ferramentas que temos para apreciar o conjunto... assim, se descobre o lugar do coração, aquele que te faz sonhar acordado. Nada de especial para o mundo, apenas para ti mesmo!