Solidão

Em algum lugar por aí... em muitos que já estive! ;)
        Acho que a maior característica de um andarilho é a sua relação com o mundo. A condição de ir passando, pelos lugares, na velocidade baixa da pegada, ou no ritmo de uma pedalada, apresenta o mundo a ele. É como se estivesse em uma janela de primeiro plano. Naquela perspectiva, observa algum acontecimento que oferta a reflexão até que passe por este... Assim, há tempo de sobra para pensar nas rotineiras coisas da vida. Eu sempre me deparo com reflexões assim... tornou-se um mecanismo de aprender, também cansa um pouco, as vezes, mas eu prefiro pensar, do que não ter nada para dizer. E aliás, eu noto que muita gente não tem o que dizer pq não anda pelo mundo. Pra pensar sobre algo é preciso vivenciar... e ultimamente tenho pensado muito na solidão. Solidão é uma condição muito estranha, pq a gente não nasce sozinho... alguém esteve lá com a gente, geralmente mãe, médico, familiares! Como tudo, tudo muda... e lá estamos, em meio ao caos, correria, rotinas, aparentemente acompanhados. Estive sentado em um lugar na rua e percebi que ninguém me reparava. Eu estava no meio do parcão e sozinho... chega a ser engraçado falar em solidão num lugar que emite som de pneus, motores e sirenes. É gente... a gente é sozinho mesmo. Parece que não é tão ruim... eu consegui ouvir o som do meu coração. Descobri que ele pulsa, bate forte, grita como se fosse condição de ser reparado. É bom pensar em algumas coisas... mas eu me senti muito sozinho, mesmo quando muitos se ofereceram para estar comigo. É que as vezes a gente quer ficar sozinho e curtir a solidão, mas de verdade a gente não entende isto como uma coisa boa. A gente pensa que precisa das pessoas... e precisa! Na hora certa, dia certo, condição certa... e a pessoa certa! Eu tenho ficado sozinho... talvez seja preciso, talvez não. De verdade, acho que a solidão pura e verdadeira me mataria... sozinho é quem quer, quem não curte, que desiste, quem não se encanta com o brilho do olhar de alguém amigo. Eu, como alimento meu coração com o sorriso alheio, espero não estar sozinho... um dia!