Memórias e reencontros...

Estrada, RST-101, Capivari, RS. 
        Ontem, falei novamente com uma amiga depois de muitos anos. Eu conheço ela desde pequeno, quando éramos crianças. Me lembro dela pedindo e ganhando pirulitos ou balas ao motorista do microônibus escolar que nos levava para casa. O seu Antenor dirigia aquele ônibus cheio de crianças e nos transportava com carinho... e lembro sempre da minha amiga, na parte mais frontal do veículo, perto do motorista. Ele era um grande conversador... e a 30 tantos anos atrás não existia esta proibição do motorista conversar com passageiro, ou pelo menos não parecia que era diferente. Ela vinha sentada ou em pé perto do seu Antenor... e eu, sentado mais atrás. Estranhamente, eu a cuidava, eu vinha sentado nas poltronas da frente, possivelmente terceira fila. Anos mais tarde, uns 10 anos... nos tornamos namorados. Eu mantinha estas lembranças guardadas enquanto fui casado, pq pensei que seria desrespeito falar sobre isto. E também acho que estou ficando velho e emotivo... eu sempre ouvi que coração humano endurece com o tempo, mas acho que o meu nunca foi tão amolecido. Me tornei um quarentão, chorão, apegado as lembranças! Depois de uma série de acontecimentos, aprendi a valorizar o presente. Digo se amo no presente, vivo o sorriso do presente, me divirto no presente, mas adoro pensar no futuro, e mais ainda no passado. Tenho falado muito sobre estas questões temporais... estou me divertindo muito, me reinventei pq faço coisas que nunca imaginei fazer um dia. Venho lapidando minha vida como um errante... eu aprendo todos os dias, estou muito apegado aos meus amigos, sinto saudades de tantos, as vezes até dói! Então tive a feliz oportunidade de conversar com esta minha amiga, que já foi namorada! Ela vai muito bem, casada, grávida, em crescimento profissional, a mesma querida de sempre! Ontem falei com ela, por esta máquina que vos escrevo, um bom papo, saudável, positivo, maduro! É bom saber como as pessoas de nossas memórias vão... elas vão, mas elas aparecem, as vezes.  Eu, caminho em carreira solo... tudo muito novo, tudo diferente, vivencio amizades, tomo minha cervejinha de vez em quando, dou umas risadas boas e libertadoras. Estou reaprendendo, vou bem, muitas vezes não poderia ser tão perfeito. Aprendi que amor é um sentimento que vc tem pelas pessoas, quer seja um amigo, família, namorada, esposa, filhos dos amigos! Amor é um sentimento libertador, te livra do peso, gera esperança e alimenta o presente. Eu caminhei muito pra chegar até aqui... acho que cheguei na metade da minha vida, imagino tudo que me aguarda. Cada aventura que vivi carrega um sorriso de um amigo, eu sempre fui de fazer amigos, mesmo que sempre tenha sido tímido! Por onde andei, amei, também errei, mas aprendi... e com meus aprendizados vieram grandes realizações pessoais. Não há maior medalha no mundo que o amor... agradeço aos meus amigos e família, amores que fiz nesta estrada, por todo carinho e aprendizado. Gratidão é o sentimento que transborda em mim, neste momento. E a sensação que tenho é de muita paz...