Não mudaria nada...

        Cheguei até aqui... subi em um lugar alto pra observar tudo. O dia esta sereno e em minha mente surgem vários pensamentos otimistas de como o meu mundo esta se construindo. Eu vejo o movimento dos carros e as luzes ao entardecer, o dia passa muito rápido e é um claro sinal de que estou envelhecendo e mais... encontrei a ponta da corda que alguns entendem como maturidade. Cheguei até aqui, ao lado de pessoas ou sozinho... trechos de solidão e de amizade confrontam linhas de reflexões onde percebo que tudo foi necessário. Acho que maturidade é estar pronto para assumir meus erros e ainda desta forma dizer que não faria nada diferente, pois sou atualmente... sou a resultante destes erros e acertos. Dos meus erros posso me orgulhar, não lembro de nenhum que me tiraria o sono, portanto não são graves. Interpretar as pessoas é uma tarefa muito difícil... eu nem sempre sei se elas estão sendo honestas, mas minha mãe sempre fala pra eu não arriscar. Eu, como errante, tento mais do que deveria, e me coloco sob a mira do erro alheio. Não tanto mais, mas de vez em quando é bom confiar e ser enganado, para não esquecer completamente o que mundo oferece. E desta mesma maneira você vai saber ofertar algo muito melhor quando chegar a sua vez. Quando tive que dizer coisas para pessoas, não quis que elas partissem da minha vida... tampouco imaginei que iriam pq não gostariam do que eu tinha pra oferecer. A vida é desenhada conforme a vivemos, e não ao contrário... as coisas não estão escritas e vc pode fazer diferente, toda vez que misturar razão e amor, pois a fusão disto deixa tua mão pesada nas escolhas, mas ao mesmo tempo tentando escolher o melhor para alguém. Isto pode ser claramente visto em paternidade... eu não posso dizer que é o melhor, pq eu não sei o que é melhor. Eu não mudaria nada, pq não tenho nada para me arrepender e pq sou agora tudo que experimentei pelo caminho... fossem beijos, decisões, escolhas de desistência, ou um esforço que pareceu desnecessário pq não atingi meu objetivo. Se pudesse voltar no tempo, escolheria apenas ter dormido menos tempo, para que tivesse experimentado mais saberes. As pessoas que não mais vi, bem, talvez a gente se encontre durante o restante da estrada, talvez não... eu guardei fragmentos do que me interessava nelas, lembranças boas.