20 anos...

Guaíba, 2008.
          O tempo passa rápido e devagar... quando se quer esquecer, demora! Eu me lembro que em 1997, era um jovem adulto, com quase 21 anos. Ainda imaturo, pois mal sabia o que realmente me aguardava. Achava que era mais forte que tudo... media minha energia e nela imaginava minha capacidade de superar. Bem coisa de guri... achar que vai ser fácil! E aconteceu... e não foi fácil. Eu quis poupar meu pai... e assumi algo que não poderia. Ele também não ia poder... foi na páscoa de 1997 que meu avô, perdeu o controle da embarcação e encerrou uma história. Dois dias de busca... "procura, procura, procura... não desiste, pode ser que esteja com frio em algum lugar!" 
Fato... apareceu, já sem vida e nas condições de qualquer náufrago. Eu reconheci meu avô três dias depois de perdido nas águas do Guaíba. Esta é a história mais triste que tenho... feia, verídica! Me calei por anos... eu engoli seco esta perda, eu o fiz pq não tinha opção. Eu não podia mudar o acontecido, tampouco mastigar aquele cena... mas como dizem, a gente sobrevive, a gente fica forte! E eu tenho certeza que esta é a resposta para eu me sentir durão... embora não seja! Fez 20 anos... percorri e muitas vezes esqueci. De vez em quando eu lembro... mas eu custo a esquecer de novo. Agora não faz apenas 20 anos... nunca estive tão forte! Eu superei... mas podia ter sido evitado, por outro lado, sou a resultante da minha estrada. E dela, simplesmente, me orgulho...