Em algum lugar e tanta coisa...

Quer uma legenda para a imagem? Faça vc mesmo... você é livre!
              Tenho lido alguns bons textos... em geral, propostas bem imersas no interior humano. Houve um período em que tive a sensação de estar caminhando no escuro, sem nenhuma perspectiva a não ser alimentado pela inércia da minha energia anterior... e então bati em alguma coisa na escuridão. Ao tocar, percebi que era um interruptor pendente e, ao puxar, acendi uma pequena luz que me colocou de volta na razão. Foi como ligar pontos de um mapa, talvez seja apenas psicológico, pois vi, naquele momento, uma simplicidade no que eu deveria pensar. Não posso controlar tudo que penso... pq alguém de mente tão ativa não poderia simplesmente ligar ou desligar ao sabor do desejo. Contudo, percebi que podia escolher onde daria o foco e o que deveria cobrir com um pano escuro. Não é fugir de algo que poderia me incomodar, tampouco tapar sol com peneira...  é valorizar aquilo que realmente importa. E outra coisa que aprendi é que muitas respostas não existem em um determinado momento da vida e de um ponto em diante passam a existir por outras vivências. Então, na verdade, estou apenas dando tempo ao tempo, sendo paciente comigo e com as necessidades que vou experimentando ao longo do caminho. É fato que a cada pegada da estrada, nos deparamos com questões que aparentemente não tem alternativa... e como diz um dos melhores amigos que fiz na vida: "Roberto, o que não têm solução, solucionado estará neste momento!" Ele sempre diz também que temos uma ligação anterior a esta vida. Ele tem razão... eu não sei como, deve haver algo que explique tanta coisa que na atual situação do conhecimento humano não alcançamos. Seria insensível de minha parte pensar que somente a ciência explica tudo, sabendo que a ciência do homem é uma criança de 3 anos de idade. Sei que quanto mais escrevo, penso, leio e caminho, mais dúvidas surgem... vejo a estrada como um momento da vida humana. Em qual momento estaríamos? Bem, acho que nossas certidões podem explicar quanto tempo, aproximadamente, poderíamos ter para resolver tudo. Se geralmente duramos em torno de 80-90, assim parecem alcançar as pessoas da minha família, então estamos sujeitos a caminhar até este momento para solucionar as questões. De outra forma, o que fazemos aqui? Seria muito vazio pensar que estamos aqui apenas para montar famílias e trabalhos... sem qualquer atividade extra ou externa a estas. Me parece que o enriquecimento de situações, geralmente, parte deste ponto... pois como haveria oportunidades sem atividades. Eis a explicação para termos necessidades de atividades... no próximo passo de um porquê disto, bem, vamos pensar que gênios não responderam isto e, assim, não seria eu quem o faria nesta existência. 

Consciência

             Quanto a este meu amigo... e outros bons amigos, tenho pensado muito. De fato, há uma consciência que nos aproxima e/ou afasta, por motivos sugeridos ou afinidades, circunstâncias da mente que oportuniza momentos, talvez com busca incessante. Deixei de ser cético quando tive meu primeiro impacto psicológico. Foi ali que comecei a desejar respostas que não seriam possíveis... e este jogo de atirar uma pergunta contra o vento para tentar obter a resposta, nem sempre é muito fácil ou viável. Aceitação dos fatos não diz respeito a conformismo, tampouco atribui respostas a um deus. E não é pq vc faz perguntas que elas virão... mas elas ficam engavetadas em loading, esperando algum dado complementar, para que talvez um dia, sejam respondidas. Até lá, posso apenas dizer... não sofra por isto, pois eu já não tenho este problema, aprendi a conviver com a dúvida. E não preciso dizer que "a dúvida é o preço da pureza e, é inútil ter certeza" para que você simplesmente permita a si mesmo de vivenciar as situações... pois é destas situações que virão respostas. E isto tenho aprendido com meus amigos, alguns com maior clareza sobre estas coisas estranhas da vida, outros apenas relaxados com o decorrer da viagem, alguns agitados pela incerteza. Em algum momento, todo mundo descobre que é inútil ter certeza e que a melhor oportunidade acontecerá quando a gente consegue relaxar. Quando deixamos de esperar algo dos outros, me parece que foi pq deixamos de cobrar de nós mesmos... e as experiências acabam sendo leves, fluentes!
O amigo que citei antes teve e tem um papel ímpar na minha vida, assim como outros poucos. Com cada um aprendi o gosto de uma coisa... assim como água tem sabor e nos ensinaram que não. Sabe pq água é ensinada como inodora? Para que vc tenha referência... o que é o número zero? Vai me dizer que zero não existe? Zero é referência, de ausência, e combinado ele forma outros números. Já pensou que água dilui gosto de outras substâncias, ou melhor, transporta?!! Vai me dizer que água é inodora e zero não soma pq não conseguimos atribuir existência da consciência e razão para existirmos. É mesmo? Bom... se tem uma coisa que aprendi na faculdade foi questionar. 

Curiosidade

                Foi durante a faculdade de engenharia que tive uma professora especial... eu não era nem de longe o melhor aluno, mas ela viu meu empenho e frustração sobre um trabalho que almejei alcançar ao longo do semestre. Numa avaliação individual... preocupada com minha tensão por estar fazendo um trabalho em grupo quase sozinho e totalmente empenhado, porém sem bons resultados... ela esticou a conversa. Perguntou porque estava sofrendo tanto com isto... Eu lembro de ter dito: "Eu sou um aluno nota cinco em cálculo... insuficiente!" Ela, praticamente indignada com aquela resposta... começou um discurso que envolveu tipos diferentes de inteligência e habilidade. Me falou sobre escolhas e caminhos... e duas frases nunca me esqueci. sendo a primeira: "és um dos alunos mais genias que já tive em termos de amplitude!", e a segunda, pense bem nesta escolha, pois teu trabalho embora incompleto foi muito conclusivo e vai além de uma graduação!" 
No final do semestre, não consegui produzir a peça que tinha, entreguei o projeto construído de forma imperfeita... no último dia de aula ela puxou "meu trabalho" de cima da mesa e começou a passar um sermão sobre o que fazemos em engenharia, sobre direção profissional. "Somos criadores de produtos e máquinas, ferramentas e soluções indispensáveis", referindo-se que deveríamos questionar mais. Meu  trabalho em grupo, incompleto... e eu pensei que ela estaria me dizendo para justamente forçar mais a barra... e ela soltou: "O grupo que não conseguiu entregar a peça com perfeição foi também o que teve a nota mais alta... e antes que alguém pergunte pq, vou deixar aqui para quem quiser ler... vcs não precisavam terminar o componente, deveriam apenas saber como, porque e o tempo necessário para conseguir! O objetivo é questionar... e não entregar qualquer coisa!" 
Eu não preciso dizer mais nada... e esta foi uma das mulheres que mudou minha vida profissional.