Para refletir o dia de trabalhador...




           Arrisco a dizer que não gosta de trabalhar apenas quem não tem nenhuma identificação com o trabalho... ou de outra forma, imagine-se viver com a mesma renda sem ter uma atividade. A administração da mente para os assuntos pessoas e profissionais é uma tarefa que exige equilíbrio. Nem muito, bem pouco, a medida certa é aquela que permite o sustento e garante o pensamento de dever cumprido. Já tive um trabalho que era financeiramente melhor, mas não era feliz... e só descobri isto quando abandonei uma carreira de um segmento que nada pertence ao jornalismo. Aliás, jornalismo me parece uma atividade um tanto desafiadora na atualidade... conheço muitos colegas que se cansaram e foram para outras áreas. Aí já fico com um pouco de dúvida se eles realmente eram apaixonados pelo ofício ou se tinham apenas afinidade com a comunicação... É como em toda relação afetiva, precisa de alimento, precisa de atenção, precisa de reação para ser motivado. Em tempos de crise a gente observa que é mais complicado vencer qualquer desafio... é comum o contratante, empregador ou solicitante, não permitir a valorização através de uma remuneração de acordo. Agora estes são desafios da profissão no Brasil... basta que seja lembrado o valor de uma imagem para um banco de imagens ou agência estrangeira ou no Brasil. Enquanto as agências brasileiras não se envergonham de pagar 11-15 reais, ou as vezes menos, por uma boa foto realizada por profissional e equipamento de ponta, no exterior vc chegar ganhar algumas centenas de dólares por uma foto exclusiva. E estou falando de jornalismo... em publicidade a situação é diferente. E se podemos ficar chocados com a diferença de valores para um mesmo resultado e qualidade em fotografias para áreas diferentes, fica difícil de entender o motivo deste distanciamento dos valores. Como em todas a profissões... há em uma crise, mas evidentemente que a crise no jornalismo vive com crises paralelas, inclusive de ética. Para começar... seja justo com seus colegas! Este é um bom exercício que vai alimentar seu crescimento pessoal também... há coisas que envolvem mais do que profissão, elas são originadas no berço, da vida social pessoal. Reflexões... quem as possuir, saberá como elas se parecem com degraus de uma longa escadaria. Se vc estiver pelo meio da escada, motive-se, olhe para trás e perceba que pode ser até difícil em muitos momentos, mas cada passo pode ganhar dose extra de fé e a subida fica mais fácil. 

Sobre os balões... 

           O trabalho de arquivo que fiz ontem, antes do dia do trabalhador, escolhi para ilustrar este caminho de reflexão sobre o trabalho. Acho que é importante fusionar sonhos e realidade, pois a gente passa a ver sentido no na estrada que vai construindo. Eu não me canso de dizer que ser flexível é o melhor caminho para se adaptar, mas que mesmo para isto é preciso priorizar que vc faz pq ama o que faz! O balonismo de Torres foi uma pauta de última hora pra mim... e quando a fiz, percebi que ela era muito mais que um trabalho, foi um dia de diversão para mim. As cores de tantas câmeras amadoras e profissionais, pediram mais de mim mesmo... eu sabia que seria fácil para qualquer um fazer aquele trabalho, portanto o meu resultado deveria, de alguma forma, estar além do que eu veria depois na mídia e redes sociais. E eu acho que produzi um excelente material.