Força

             A água é a força mais notável que lembro quando começo a pensar em algo invencível... Ela se molda, se adapta, bate de frente e supera os obstáculos como se pensasse que de tanto insistir conseguirá atingir tais objetivos. Na verdade, se pensarmos... compreendemos muitas questões da desistência. A gente desiste porque pensa demais... e é fato de quem se foca em algo e não pensa nos obstáculos, torna-se imutável na trajetória, acaba superando e um dia conclui a tarefa. Tal de insistência... que leva a realização dos feitos, seja qual for o grau de dificuldade. Sempre pensei muito, especialmente se era realmente "isto ou aquilo" que eu queria pra mim. Fui, toda vida, emocional... decidi pensando em quem eu gostava e optei por viver mais. E me parece uma boa escolha... já que deste plano, não levaremos nada, e o sacrifício de ser ausente pode ser simplesmente um perder de tempo irrecuperável. As escolhas... elas nos levam aos lugares, aos formatos, para a segunda pele sejam carros ou roupas de valor agregado, também nos levam a outras pessoas, talvez até faça sentido em alguns momentos. Sempre penso... nascemos e morreremos sozinhos, pois a passagem, mesmo que alguém esteja segurando tua mão, será feita individualmente. Neste "cano" de passagem, passa um vivente de cada vez... mas este nem é o assunto do meu post. Meu post é sobre força, sobre escolhas, sobre como dar de frente com o mundo e manter-se em pé. Cerca de dois meses atrás, ensinava alguém a entrar no mar. Foi ali que percebi que era forte... e quando falo de força, falo de ser inquebrável. Todos nós passamos por muitas coisas... a estrada é uma trajetória com surpresas. As pessoas ao nosso lado, mudam, outras vezes desaparecem, por motivo ou sem motivo... por vezes, olhamos ao redor de nosso próprio eixo e percebemos que estamos entre arrebentações no mar sem fundo. E é neste momento, que mais precisamos, que podemos e teremos a força. Há dois tipos de pessoas... os que lutam e os que afundam. Nasci para lutar... eu brigo com o mar até a exaustão, porque sei que o momento seguinte é a desistência de algo que ainda quero desfrutar. Lembro perfeitamente, ainda quando tinha uns 18 anos, de uma oportunidade mal interpretada para pegar ondas. Mar grande, bravo, correnteza lateral de quilômetro pra 40 minutos. Não era o dia pra fazer aquilo... mas jovem, acha que pode e faz. Cheguei num lugar que não tinha como sair... larguei a prancha por lado e flutuei apenas com a cabeça fora dágua e a agitação do mar era tanta que mal dava pra manter o nariz pra fora. Foi ali que tive o estalo... experimentar o pior liga o botão da força. Quando se é jovem, este botão só liga quando você precisa... mas ao envelhecer, aprende-se que esta força esta disponível integralmente. Deve ser utilizada com sabedoria, pois momentaneamente é esgotável. Puxei a prancha de volta e sentei pra ter uma visão mais ampla... na minha frente estouravam os "caxotes" de 2 metros de uma onda gorda que nunca vi em outro mar além aqui do sul. Combinação explosiva... banco raso com onda gorda. Receita de acidente... mas eu tinha que sair de dentro daquela máquina de lavar. Estava, já, com as mãos roxas  de frio... quase hipotérmico. Ainda assim, escolhi uma onda e fui... mas era garantido que cairia de uma onda tão bagunçada. Fui ao fundo sem tocar em nada... acho que não era tão raso como pensava, mas a onda quebrava muito feio. Quando voltei a tona, levei outra, era uma sequência muito frequente entre onda e outra. Naquele ponto o pior já havia passado... mas advinha se a cordinha não arrebentou com toda aquela força dágua. Eu estava sozinho... sem minha parceira de flutuação, mas de pés de pato, nós, bodyboarders, nos viramos muito bem. Embora estive indo na direção de uma saída dágua, nadei forte e cruzei pelo vazadouro com segurança. Ao chegar na praia percebi que tinha feito algo novo... algo que não poderia ser retirado de mim, algo impagável, era o acesso ao plus da força. Ali, percebi que depois que a gente pensa que acaba, tem mais um dobro de força extra que a gente não acreditava que tinha. E pensar que muitas pessoas nunca acessam esta força... embora, acredite eu, que ela esta em todas as pessoas. A cabeça manda no corpo... meu avô dizia isto. Era meu sábio, chefe da tribo, que antecipava as coisas pra mim. Meu melhor amigo... e sorte tive, pois era homem feito quando se foi. Foi o dia mais triste da minha vida, tal partida, mas a felicidade de ter convivido com aquele velho me colocou num plano de existência que eu jamais poderia lamentar. Toda vez que começa a chorar, lembrava tudo que tive e assim estanquei uma ferida. Ora, contei dois momentos importantes sobre força... na pressão psicológica de uma situação de vida em risco, outra pela perda de um amor. Percebes quanto somos fortes? Podemos nos tornar inquebráveis... eu jamais desisto de importâncias, até que algo ou alguém desista por mim. Que a força esteja com você...