Pingos


Pingos caem... pingos escapam de um telhado molhado, de uma torneira mal fechada, do orvalho sobre a folha. Pingos são continuidade de uma vida que se transforma, da chuva formada... daquela água que formou uma bonita nuvem. De onde virá aquela gota, pra onde irá, pq a pressa? Onde vais gota cristalina? Dúvidas sobre pingos de vida, sobre razões e emoções que temos e sentimos. Para onde vamos, de onde viemos, quando chegaremos? Somos como pingos, pingos que vem e que vão, sem razão... pura emoção, amor e sorriso! Não sei onde vais, mas volta! Volta e chove no meu telhado, para eu sorrir, para eu te amar!

Por Roberto Furtado, em 2006.