Silêncio


Morro Ferrabraz, Sapiranga, RS. 
                Alguns anos atrás descobri o significado do silêncio... ele, embora seja a ausência sonora, descreve momentos. Há, nas entrelinhas do silêncio, muita informação que constrói uma ideia. E não são poucas as ideias baseadas no silêncio... e se vc prestar muita atenção, talvez "leia" o silêncio conduzindo teus passos. Ao silêncio, ofereço minha paciência... em contrapartida, peço algo em troca. Que entenda... também, meu jeito, sem questionar. Afinal, paciência e silêncio são diferentes, vitais a diversidade. Silêncio é ausência, ainda que uma ação, de inexistência, já, paciência, uma reação, calma, assídua, permissiva, talvez. Paciência... maior valor do mundo, se existisse sempre, jamais guerras seriam contadas. Silêncio, evidente... evitaria muitas coisas... mas longe de tudo, há, um vento, oculto, invisível, igual ao silêncio, parecido com paciência da continuidade. Há tanto no silêncio, como há na paciência, e assim, no vento... no calor do mundo! Silêncio pode ser tesão, pode ser amor, pode ser amizade... mas com mãos se define o silêncio em seu grau, tipo e momento. Silêncio, parece ocultar sabedoria, talvez esconda emoções... outros caminhos, mesmos pensamentos, novos pensamentos, para novos questionamentos! Silêncio... pede paciência, paciência pode ser silêncio! Silêncio jamais será o mesmo que paciência se no olhar houver tensão... outrora, paz, do silêncio, é paciência e guerra não se fez. Cada caminho, novo céu, nuvens altas, nuvens baixas, gramado mais alto que nuvem? Parecia improvável... sobre paciência, não há silêncio que se quebre. Eu, não sei nada sobre silêncio... sou grito, sou fala, sou a fala saindo pelos cotovelos, mas paciência, acho que sou, mais que o normal. Ainda que não seja incansável, melhor! Se brisa existe, e não faz barulho, pode ser leal guardiã do silêncio. Talvez da paciência de mover nuvens... eu, paciência, não sei como é... não sei como faz, mas sou paciência, mesmo que silêncio me incomode. E silêncio, parece ser tão atraente... será que corresponde? Será que supera expectativa de suposição? Muitas perguntas, mas paciência, não é o momento... todo silêncio se quebra em algum momento, pode ser com suspiro, com respostas imprevisíveis. Entre silêncio e paciência há um acordo... de aceitação, de permissão de existência por silenciamento e de compreensão com a paciência.