Velocidades

Em algum lugar por aí... e pouco importa! ;) 
          Pensar... não pense tanto, ou melhor, talvez sim! Acho que cada um carrega consigo a opção de ir e vir, em velocidades diferentes, com prazos de validade que se alteram de acordo com os anos. Não sei tantas coisas... e não me incomoda não obter as respostas, mas me incomoda não realizar as perguntas. Sei que jamais terei muitas respostas, mas também sei que todas elas não serão respondidas se eu não as fizer. Tenho pensado na velocidade em que as coisas acontecem... nos motivos, no andamento dos fatos, na dissolução de questões e decorrência de reações. Acho que isto me faz em alto relevo em relação ao que entendemos por normal... diferente? Talvez... que bom! 
Sobre as velocidades, tenho considerações... elas estão se invertendo e sendo "customizadas" pelo meu olhar. Aquele sentimento de quase dominar o assunto velocidade fotográfica me permite observar as coisas em outras velocidades. O tempo... a exposição, um frame perfeito. Luz certa, velocidade, tempo... o que é tudo isto? A manipulação de uma ideia através de um filme, ou sensor, resultando em um olhar apresentado como diferente da realidade corriqueira. Pura física... eterniza! Transforma algo passageiro e único em algo para todo sempre! Fato... quantos fotógrafos já se foram, tiveram grandes imagens, simplesmente perpetuadas pelo clique brilhante. Suas longas vidas passageiras frente ao clique que é uma fração de segundo... e agora, eterno! Se confunde, velocidade, tempo, luz... brilho e cor! Perspectiva... cada olhar é único. Tenho pensado muito... na velocidade, com o meu olhar. Ando em outra velocidade... meu coração bate noutro ritmo, meu trabalho funciona para outro ritmo, minha pressa e milhares de cliques para um clique certeiro. Antes, pauta com centenas de frames, agora 15-20 frames perfeitos. Exatidão... na agilidade, no foco, no cálculo certo do tempo em que algo cruza a frente da minha objetiva. Eu não erro... Um amigo querido disse outro dia, "ainda bem que esta câmera não é uma arma!" 
Ele se referia aos poucos erros que cometo fotografando... poucas perdas, sei que cheguei neste patamar devido a insistência, afinal, devo ter passado já dos 500 mil cliques, tranquilamente. Imagine o que é ter mais de 500 mil imagens passando na cabeça num ritmo que pede recálculo do tempo. Então... estou sim noutro ritmo. Preciso, quero, vou indo... aos poucos, algo que talvez seja maturidade, pessoal, profissional, oferece uma nova forma de ver o mundo. Outra velocidade... talvez outras. A banda Vera Loca possui uma música com nome de velocidade... e que diz: " A velocidade... de tudo que acontece... em cada momento... depende de você!"
E assim... eu quero o que é bom, passando devagar por mim, chegando rápido, pelo tempo que puder viver. E o que não for bom nem venha, mas se vier que vá embora, com toda velocidade, bem como precisar ser. Eu não tenho mais pressa de viver o que não preciso... mas eu tenho pressa de viver o que gosto. Já passou muito tempo... e eu sei que isto deve representar metade da minha vida. Agora é hora de eu me divertir... o que vou fazer agora? Bom... parece claro, vou viver com as pessoas, na minha velocidade, na minha pausa vou andar bem devagar. Vou ganhar o tempo que antes não soube aproveitar... minha velocidade agora é de múltiplas velocidades, para cada situação, uma velocidade diferente. Vou usar meu tempo, com o que ou quem eu quiser... pelo tempo que eu achar que vai ser. Se foi o tempo em que eu perdia tempo... agora congelo o tempo que eu quiser!