Correr... metamorfoseando, outra vez!

Imagem com um Samsung J7, CETE, Porto Alegre, RS. foto: Roberto Furtado
       Tive um estalo... um dia pensei, podia correr! Fazia tempo que não corria... tive até uns ensaios "correrinos" cerca de uns 8 anos atrás, mas poucas vezes. Também já corri muito com o trabalho de fotojornalista... com quase 10 kg nas costas, mas a distância raramente superava uns 300m. É preciso bem mais que isto para começar a mudar a resistência e o corpo. Ainda que repórter de rua, freelancer, precise correr com peso... faz errado, porque raramente possui uma rotina saudável, e aí corre quando precisa pra pegar a pauta. Então... 
Um dia, assisti pela 20ª oportunidade ao filme de Forrest Gump, e como passei por uma grande transformação ano passado, achei que era hora de colocar em prática. Prometi para mim mesmo que em 2017 seria um ano de mudanças drásticas na minha saúde... iria correr, caminhar mais, quem sabe me empenhar mais para trips de bicicleta. E foi assim que tudo se tornou nova realidade... comecei a pegar onda de novo, continuei pedalando pouco, mas frequentemente, comecei a caminhar, fazer trilhas a pé, e caminhada seguida de corrida apareceu. Recomecei caminhando... fiz uns 10 km de caminhada rapidinha. Perna eu tenho... eu não tenho é fôlego, ou melhor, não tinha. Hoje, estou perto de completar um mês de corrida... quase! Corro ou caminho, de acordo com o tempo, hora do dia e disposição que tenho. Outro dia corro de 4 a 8 km, dia sim, dia não, se tenho disposição, corro todos os dias, como aconteceu por uns 7 dias seguidos. Já corri 10 km... já corri 6 e caminhei mais 6, faço alternâncias de velocidade quando faço voltas na pista do CETE. Vou me testando... hoje, fiz o mesmo trajeto do meu primeiro dia de corrida. No primeiro dia, devo ter corrido apenas uns 3 km de 10 km totais. Hoje, devo ter corrido uns 7 km num ritmo bem melhor... os últimos 5 km senti que o fôlego apareceu. E recupero rápido... mas tudo isto não tem a menor importância. Se é bom, se foi rápido, se vou ficar correndo 3 vezes por semana... tudo isto é irrelevante, pois pra mim, relevante mesmo é saber que a gente consegue. Aos 41 anos, voltei a correr... voltei a pegar onda, e estou correndo justamente para ter fôlego para pegar onda! Moro longe do litoral... e não posso ir muito para a praia, mas quando eu for novamente, vou ficar pegando onda bem mais horas que antes. Estou em uma metamorfose... somos, ambulantes, andarilhos, não podemos ficar parados. Conta a sensação de liberdade... a sede de libertação, de conquista! Se rejuvenesci, foi porque acreditei em mim mesmo... vou pegar onda e correr, nada me segura mais! Outra vez, sou dono de mim mesmo, igual na juventude, outra vez!