Personalidade

Meu chapéu, de carregar em mala, já no estado de muitas e árduas caminhadas. E minha objetiva, 17-40mm. Descrevem, certamente, minha personalidade, parte fotográfica, parte de mim mesmo. 
                  Eu... caminho, sobre o mundo, em minha versão que se transforma a cada segundo... e que na soma dos milhares de minutos, me apresenta como um novo andarilho. Personalidade é o que carregamos, de nossas vidas, de nosso tempo, de nossos amores e fatos! Somos uma realidade consequente de cada manhã... hoje mais e melhor que ontem. Somos evolutivos... é da nossa natureza, como já escrevi antes. Não podemos mudar... a mudança é a certeza de tudo, mudar é fazer parte de tudo que se transforma. Recriamos o amor, os conceitos, as atividades, a tecnologia, as razões... os valores! Somos personalidades itinerantes. Me olho no espelho, me abro pro mundo, dou novo olhar ao meu trabalho, me faz tal característica um profissional mais completo. Olhos ávidos... fotojornalistas são como aves de rapina, eles não tem tempo para pensar da mesma forma que  os que trabalham com produção. Você viu o que vai acontecer? Não... já aconteceu! O mundo é dinâmico, tu esperou, o mundo passou. Não pisque os olhos... vais perder algo! 
Encontrei uma garota. Conhecia ela... de vista, poucas palavras trocadas até então. Fazia tempo que não a via... então, palavras brotaram da minha personalidade. Ela, com própria personalidade, reagia e criava outras falas que surpreenderam a mim. Nada esperado, nada planejado... ainda assim de boa rolou o papo. Convida pra um café... carinha de solidão, parecida com a minha, quase me vi no espelho. Tinha também frustrações do passado... personalidade, já manipulada pelas experiências anteriores. Aí entra aquela questão, como as pessoas cometem erros com as outras... erros que levam as pessoas a criarem bloqueios, medos, perda de visão. Personalidade, alterada, cometida, injusta, machucada... eu, bem, acho que quase curado, confiante, pronto, pensando o impossível de ser sagaz sobre o mundo... eu, tolo, como todos os outros. Vi... confiei, me vi cercado, pronto para ser executado, mais uma amiga. Quem dera ter um milhão delas... são melhores de papo que os homens. Um encontro marcado, talvez acidental, talvez quase, talvez uma opção para sair dos trilhos. Era um um encontro do destino? Era nada, era oportunidade aproveitada, um sonho, imaginação... tem nome, mas não digo. Tinha uma coisa muito interessante em seu coração... parecia, personalidade! Cada um pode aproveitar as chances que tem... de encontrar o próprio caminho, os próprios amigos, os próprios amores, o próprio destino... atribuição da personalidade!