Serenidade

Orla de Ipanema, Porto Alegre. 
                Esta postagem é bem o relato de um experiência... Me senti estranho esta semana. De hora para outra fiquei agitado... e custei a perceber algumas coisas. Tenho conciliado algumas tarefas, em alguns momentos com mais dificuldade devido a colisão de horários, e isto trouxe uma "instabilidade". Acho que fiquei estressado... só que não percebi. Foi uma mistura de preocupação dos afazeres acadêmicos com trabalho, também com atividades não relacionadas ao trabalho, tal como meu hobby com marcenaria que tenho exercido na casa da minha irmã. Aí, soma tudo isto, e em alguns momentos percebe que o automóvel fica fazendo parte do cotidiano, e é onde tu fica sentado por centenas de quilômetros numa semana. Quer saber? Colocamos o carro num patamar de mal necessário... e ele estressa a gente. Fiquei pensando, todo dia indo e voltando pra Canoas, depois de passar o dia envolvido com trabalho. Arranca e pára, do congestionamento, em pequenas doses de teste, com barulho e excesso de atenção, também preocupação com os horários. É assim que a gente perde a paciência... é assim que a gente fica num estado de agitação que não precisa. Logo eu... que encontrei um lugar tão bom pra manter a mente. Tava meio esquisitão esta semana... aí percebi que em duas semanas, se corri duas vezes, foi muito! Fiquei desconfiado... um amigo me convidou pra andar de bike, mas volta não foi grande. Me senti um pouco melhor e percebi que estava precisando de exercício. No dia seguinte, corri 4 km, no outro, também... no final do segundo dia em que corri, meu humor tinha mudado completamente. O resumo... a gente inventa e se coloca em rotinas onde a prioridade é o trabalho, a mente anda a mil por hora, e o corpo fica quase parado. O resultado é um desequilíbrio... e pra mudar isto, reserva uma hora pra correr, dia sim, dia não, aí teu corpo sincroniza com a tua mente, e agradece. O nome disto... serenidade!