Posso, faço e escrevo...


              Evidente que confiança é o sentimento mais destacado neste texto... O título já diz muito sobre isto, assim porquê eu simplesmente domino o meu universo. Não tenho, nem dúvida, com certeza, de que o meu mundo me oferece mais questionamentos do que respostas... e é por isto que sou feliz. Sou incansável andarilho desta busca... eu miro no horizonte, olhando para os lados da estrada, imaginando tudo que existe e precisa da minha curiosidade. Confiança... segurança! Eu sei que posso, vou lá e faço... também escrevo, pois me permito escrever com o pouco que tenho de conhecimento. E afinal, não é o homem um ignorante nesta terra onde há tanto para saber? Há mais conhecimento garantido em engenharia do que em medicina, porém, na saúde, os profissionais parecem sentir que são os personificados deuses, com arrogância, caminhar da confiança sem saber quase nada do universo que os cabe. Converse com os engenheiros... mas em média, vais ver que são autossuficientes em suas perguntas e respostas, soluções imediatas, seguras. Esta mente da ciência exata parece ser mais modesta e convencer-se de que quanto mais sabemos, menos somos dominantes do conhecimento. Há tanto para ser questionado... inclusive a mim, eu, que vos escrevo. Escrevo na simplicidade que poucos poderiam, ainda que muito melhor que tantos que já vi... aliás, sempre me pergunto como alguém pode se julgar acima dos demais sem que saiba escrever fluentemente linhas como estas... peça para um médico escrever uma carta, mas não se horrorize, e não cobre dele, afinal, você não quer ser como ele. Um arrogante nato... não sejamos generalistas, tenho amigos médicos e de outras áreas da saúde que são modestos. Ainda que não saibam escrever, são profissionais excelentes... tive uma professora, uma física brilhante, que me explicou sobre as inteligências do humano. Sensibilidade, capacidade para transportá-la, eficiência sobre as soluções para convencer as pessoas... inteligência, incomum, pouco compreendida. Afinal, tal resultado, seja literário ou artístico, jamais foi valorizado, embora esteja relacionado a efeitos positivos que enriquecem segmentos, baseados em desempenho de vendas (publicidade), ou até mesmo nas linhas de um automóvel, quem sabe nos filmes hollywoodianos! Há, em tudo, seus motivos, direções... frieza não é um adjetivo, embora torne algumas coisas mais simples... como passar por um conhecido com problema e simplesmente ignorar. A vida, se desenha... dá sinais, algumas vezes, reparamos, outras, nem nos ligamos. Eu escrevo... fotografo, tenha certeza que sou de um tipo que há bem poucos... será que 1 ou 2 em 100 indivíduos? O que é mais fácil... escrever algo que toca as pessoas ou se formar em administração, direito, engenharia, medicina? Hum... acho que nada é fácil, e tudo requer uma habilidade, mas note... incomoda ser criticado, não é mesmo? Já pensou... era isto que eu queria! Sabe porque eu faço isto? Eu nasci com isto... e aprendi a usar, eu posso, eu faço, eu escrevo!