Adeus ano velho... seja bem vindo ano novo!

Livre somos todos... até que assim não pensemos! Roberto Furtado
       Jamais começaria um texto falando mal de um ano que nos acomodou nos últimos 365 dias... foi divertido demais. Estive presente no abraço e no coração de pessoas, na lista de nomes de um trabalho da faculdade, ao lado de colegas antigos do colégio, amigos de praia e, estive no colo da família confortavelmente. Não tenho nada para lamentar... foi incrível! O ano que chega é um período cheio de desafios que colocam em nossos caminhos perspectivas construídas com amor e dedicação, mas também um pouco de medo... e aliás, medo é um sentimento que nos motiva. Pelo medo chega a reflexão e a solução... e assim, construímos a nós mesmos num passo acertado com vontade de conseguir. Medo é um sentimento presente nos corajosos e nos vitoriosos, pois sem conhecer o que assombra um caminho não existe o jogo de cintura que nos faz superar. Fiz tudo que queria... acho que fiz. Eu não arriscaria minha vida por nada que não valesse a pena... eu aprendi em 2017 que a gente não perde tempo. Com ela aprendi que "se ganha tempo" com quem se quer por perto, com os planos de investimento dos nossos sonhos, com o sorriso que soltamos nas horas mais inúteis e desprendidas. O tempo passa, mais um ano se vai sem alguém que amamos porque a vida é assim escrita... ela é "trem bala parceiro", passa voando. Leva teus avós, teus amigos, tua juventude... opa, espera! A juventude jamais vai embora quando ela é verdadeira dentro de nós... aquela vontade de viver, de passar madrugadas em claro com um amigo(a), estudando, trabalhando, sendo faca na bota!
Não posso deixar de encerrar o ano deixando uma mensagem para aqueles de alguma forma fizeram parte da minha composição histórica... meus amigos, meus colegas e professores de faculdade, minha família precisam de umas palavrinhas. Queridos... paz é algo que damos a nós mesmos, fantasia fazemos, sonhos plantamos, carinhos e sorrisos ofertamos, uma chance para nós mesmos e para as pessoas sempre devemos! Livre é o homem que consegue ver em seu caminho de obrigações uma escolha para cada momento... e neste encontrar tudo que precisa, principalmente a paz! Sejamos livres em 2018 para que nossas mentes possam voar, para que as fotografias possam nos lembrar de uma forma mais fantástica, para que brilhemos onde quisermos! Meu beijo grande, seja o que o universo quiser e deixa rolar com o vento. Adeus 2017, seja bem vindo 2018...