Combustível


             Há uma relação entre real e abstrato, figurado sentido entre coisas e acontecimentos. Analogia poderia ser a relação de fatos não ligados, mas que se parecem. De alguma forma, fogo e combustível, resultante e matéria, se entrelaçam em uma dependência existencial. Há estranhas mágicas do mundo que entendemos como naturais, tal como a chama que verte de madeira. A física devidamente explicada impede que ciência se confunda com magia. E de fato, é física, ainda que pareça mágico. Mesmo assim, a beleza da chama é algo inquestionável... 
Junto de uma amiga em uma mesa de lancheria, oportunidade de uma conversa divertida, diz ela: "Viste que as pessoas dizem como tu escreve bem? Li nos comentários, alguém falou sobre tu colocar sentimento nas coisas mais comuns!"
Sempre soube que era diferente, capaz de fazer coisas simples e agradáveis. Como fotografias, como textos facilmente compreendidos, com palavras corriqueiras e relações explicativas. Sempre me achei uma ilha, nunca pensei nisto como um artifício que me elevava em relação as demais pessoas. Nunca me achei melhor por isto, mas sempre me senti sozinho por tal capacidade. Estranho pensar que algo, um dom, pudesse me tirar da normalidade e me levar para um lugar desconfortável. Algo criado por mim mesmo, que me faz capaz de escrever, ou melhor, de criar, resulta em me isolar... e pensei toda minha vida que isto me aproximaria das pessoas. Não fora em minhas relações que isto foi valorizado, talvez nem devesse mesmo. Contudo, cada pessoa nasce com algo que possibilita alguém se sentir admirado, por uma única pessoa. Faz parte da vida ter esta sensação, este desejo, de ter alguém, que te admire, que te ilumine com o rebater da luz e com a luz própria. Estranho é acordar pela manhã e perceber que muitas vezes o que sentes não condiz com tuas perspectivas sobre as pessoas. Conheci, em toda minha vida, duas únicas garotas, se estiver certo, que pareceram melhores que eu como observadoras, pensadoras e escritoras do sentimento. Ademais, somente outros homens desempenharam tais papéis melhor do que eu... justamente o sexo masculino, turrão, volta e meia apresenta uma ínfima fração de capazes de me deslumbrar sobre o pensamento. Não posso deixar de pensar que é uma pena, pois as garotas me atraem quando são assim, espetaculares. E sim, senti-me fortemente atraído por elas quando percebi tal poder. Não significa que outras mulheres não despertassem a curiosidade, o carinho, até indicativos de paixão, mas aquelas duas garotas... elas fizeram algo diferente. As duas habilidosas me deram muito mais que sentido e motivação, deram a mim fantasias. E o que é mais importante que oferecer combustível ao autor... é disto que vive um conteudista, de lenha para o fogo. Elas? Bom, jamais souberam... uma era casada e jamais me permitiria dizer, era eu também casado. A outra, jovem demais para mim, da mesma forma eu não diria. Admirar é possível sem que se toque... e afinal, nem tudo é para colocar a mão. Aliás, algumas coisas ficam melhores a distância, como num alimentar de respeito e ao mesmo tempo fantasia num limite saudável. Sigo admirando-as, garotas incríveis, homens de sorte são os que convivem com elas... sejam pais, irmãos, amigos, ou namorados. O que irradia uma garota assim é o que te permite viver com extras, ver brilho na chuva, ver luz perfeita em dias encobertos, ver o amarelo de flores tão pequenas como as formigas.
Me sinto estranho abrindo isto para o mundo, mas sei que poucas pessoas costumam passar por aqui... e afinal, se isto me faz bem, talvez seja também combustível para alguém. E assim, num passo de ciclos e apoios, se desenvolvem pensamentos e se geram outros dons. Quem sabe... quem sabe... quem sabe se não existe um motivo para tudo isto ser exatamente como é, e que de forma alguma a física possa um dia explicar.
Quando criança, lia Quintana e o achava simplista e tolo... hoje, leio e o acho gênio. Ele conseguia transmitir complexidade e verdades com simplicidade. Muitas obras de Mario não possuem mais que 10 linhas e dizem coisas da vida que não podem ser explicadas em grandes obras. Se isto não é ser brilhante, então realmente não sei o que é... e me coloco aqui sentado num toco ao lado da estrada onde resolvi passar alguns minutos observando o campo e o vento, pensando que quem pensa pode não ter mais do que aquele tempo disponível e ao mesmo tempo ser dono de si mesmo por ser realmente livre. Não existe outro combustível mais eficaz do que o desejo da própria liberdade! Só a liberdade permite dizer o que pensa...