Pensamentos, fotografia e os sentimentos

Nova Ponte do Guaíba sendo construída, agosto de 2018. Foto: Roberto Furtado
Os pensamentos são inevitáveis caminhos do homem. Por eles encontramos soluções e refletimos a continua correção da caminhada. Acho que certeza é uma coisa tão garantista do erro... tudo muda tão rapidamente e uma parte das mudanças não são atribuídas ao nosso comportamento. O vento muda de direção sem interferência do catavento, da mesma forma muda a direção da vida do homem. Os caminhos se cruzam, interagimos, encontramos, perdemos, ganhamos sempre. Sobre o resultado ter acrescentado, mesmo que indesejado em algum momento, ganhamos e nos faz bem por motivos diversos. Somos viventes capazes e com necessidades de ir, de mudar, de criar volume interno com uma razão. A razão de aprender... ontem, fiz minha primeira ação de ensinar com iniciativa e construção de material totalmente planejado por mim. Teve um momento em que me perguntei: "Como ousas a ensinar?" E foi então que percebi que não podia estar mais apto para tal, mesmo que houvesse muito a melhorar. Dedicar-se a uma vida profissional é mergulhar em um oceano onde o conhecimento é uma eterna construção. Pilares que fixamos dentro de lugares improváveis, como o fundo de um rio, mar, pensamentos! As pessoas me perguntam o que vejo em fotografias que realizei... e sempre fico em dúvida de como explicar, demonstrando que sou simplesmente apaixonado por fotografias e suas representações. A verdade é que vejo toda fotografia como uma janela, fragmento de um lugar e tempo, com o propósito de instigar perguntas e respostas. E a melhor forma de promover esta ação e reação é criando um quadro que prenda atenção. Os pilares pesam e se fixam com o peso da idade, junto com a certeza de que maturidade é como um homem deve se comportar. Enquanto uns parecem jamais crescer ou continuam errando caminhando na direção do dia final sem um propósito, outros evitam caminhos escuros e pensam que as próprias ações são os pilares que jamais poderão ser derrubados. Do passado, tenho hábito de lamentar... não do que fui, mas da demora que precisei para crescer, pois tempo não ganho e um tempo perdido. Embora nada possa ser mudado com relação ao passado, algo muito simples é positivo nestes pensamentos. A sede por acertar surge de uma consciência que permite questionar... e por entre uma mata fechada ao entardecer sigo na direção da claridade. Talvez, me chamem de louco por correr atrás de um sol que anda mais ligeiro que eu... mas eu posso vos lembrar que ele fará a mesma trajetória no dia seguinte, provando que como um pai, ele volta no dia seguinte para nos orientar. Desapegado de qualquer religião, não me vendo exatamente como um ateu, me agarro em minhas próprias crenças e motivos para melhorar a mim mesmo como coadjuvante de uma história tão ampla e que me coloca no centro de minha história como personagem mais importante. Perspectiva não é para todos... trocar de lugar e observar o mundo é para aqueles que buscam um entendimento que a grande maioria procura em um deus. Eu... resolvi ser autodidata nesta parte das minhas buscas. 
Com relação aos meus sentimentos sobre tudo isto, bom, acho que talvez eu nunca estivesse me sentindo tão perto de algumas coisas. Fico curioso pra saber como vou me sentir em alguns anos, mas acredito que a sensação seja de gratidão e de ter aproveitado o tempo da melhor maneira que pude. Abracei, beijei e anunciei o que sentia por cada um... tento participar de alguma forma da vida de algumas pessoas e tento transmitir o conhecimento e carinho que absorvo deste plano chamado planeta Terra. Sou grato pelas escolhas, pelos sentimentos que tive, pelos pensamentos por onde caminhei, também a ciência e arte da fotografia que pulsa em mim. Somos parte de tudo que mudamos... assim, pilares de um mundo que deixamos no passado. Cada ontem é importante para o hoje! Não dá pra olhar para onde ir se não olhares de onde veio... nosso caminho passado é tão importante quanto o caminho que  se vive no presente!