Ciclando


Diário de Bordo        

O meu diário de bordo... É bem estranho pensar sobre um lugar na internet onde coloco minhas perspectivas e reflexões. Por outro lado, isto deve causar algumas situações que nem fico sabendo, tais como a identificação dos leitores com aquilo que escrevo. Escrever para si é egoísmo... assim que sou, escrevo para mim abrindo para o mundo. E afinal, aqui não tem nada que eu possa me envergonhar ou constranger alguém, não haveria motivo para não publicar. Estou falando dos ciclos de vida, de ir e vir, de versões do olhar para o mundo... e claro que isto vejo sobre minha própria estrada, meu diário de bordo é fato contado. Tenho um amigo, um colega jornalista, formado em duas ou três graduações, que é uma pessoa bastante interessante de ouvir. Um dia ele veio, sentou do meu lado durante a pausa de um trabalho em SP, e disse: "Cara, adoro teu blog... aquilo é um verdadeiro diário de bordo, teu corpo é meramente um veículo desta tua máquina de ver o tudo. Acho incrível como tu enxerga o mundo!" Me lembro de ter ouvido aquilo e fiquei pensando: "Este cara é louco, mas é legal! E que bom ser reconhecido por uma pessoa inteligente em um mundo tão carente de demonstrações de sentimentos e percepções!"

Movimento

Fiquei pensando sobre o que move o mundo... em primeiro momento me veio a divisão de como olhar o mundo. Onde a maioria deve pensar que o que move o mundo é o dinheiro... e uma minoria, na qual penso me encaixar, observa o mundo sendo movido por amor. Algumas pessoas se movimentam para ter coisas... outras pessoas se movimentam para agradar ou sustentar amores. Quem tem filhos e se mata trabalhando, sem muitas vezes fazer uso deste recurso financeiro em benefício próprio, evidentemente esta se movimentando por amor... para dar aos filhos. Quem não tem filhos faz isto pelos pais, pela continuidade do conforto e sabe que para tudo há um limite. E este trabalho deve fazer sentido... e cada um sabe o sentido do seu trabalho. Meu trabalho de fotografia possui ideais de produzir a linguagem mais universal que existe, e nas melhores oportunidades leva o observador ao encantamento. Assim movimentamos o mundo...

Longe, perto e foco

O que é sucesso? Bom... sucesso, para mim é felicidade. Para outros deve ser dinheiro... se dinheiro compra felicidade, acho que até certo ponto é viável. De verdade, felicidade não é algo que depende do dinheiro e tampouco do que muitos entendem como sucesso profissional. Tenho visto os melhores fotógrafos vivendo modestamente... assim como deve acontecer com outras profissões. Assisti um documentário estes dias sobre alguém que fez tudo para enriquecer, depois quando ficou rico decidiu que havia perdido tempo demais com a vó e então iria viver ao lado dela o quanto pudesse. Não dá pra ter tudo... é uma questão de escolha, perto, longe ou onde canalizar a energia. Nada disto é uma verdade... cada um tem a sua! 

Amor

Bom, isto é tão subjetivo... como você reage ao amor? Quanto de amor você dá para as pessoas? Amor começa e pequenos gestos da gentileza e vai até o inimaginável para agradar alguém. Estes sentimentos são verídicos quando promovem uma paz e ciclo de coisas boas em seu autor. A gente se vicia em amor... em oferecer, receber, criar oportunidades. Já tive todos os tipos... eu tenho amigos que são meus amores. Amigos para os quais digo, por exemplo: "Quando chegar em casa, me avisa!
Tenho uma amiga que me convida para ir em tudo que é espetáculo e feirinha... é uma amiga, apenas. Ela precisa de mim? Claro que não... no entanto, outra já precisou muito, também fui presente. Um amigo sempre me convida pra pescar... e a gente passa os dias conversando e falando de tudo. Tem um amigo que tem uma condição financeira muito boa e lamenta sempre morar longe, me diz: "precisava de mais amigos como você aqui onde eu moro!" Acho que ele não soube procurar os amigos da forma que gostaria... estou certo que há pessoas boas onde ele mora. 
Acho que eu também não soube lidar com alguns tipos amor... hoje entendo isto. Aliás, estava lendo um texto interessante sobre amor e tropecei em algo que as minhas amigas deveriam ler, cujo título era algo assim: "O homem e o amor da sua vida podem não ser a mesma pessoa." Achei que é uma leiturinha romântica para os valores do amor, mas não podemos esquecer que amor não se restringe a duas pessoas... amor é algo bem mais amplo que isto.