Pouso do descanso...

BR-448, Canoas - Porto Alegre. 
É de um lugar mais alto que se observa de forma mais ampla... em um pouso demorado a gente consegue pensar em tudo. O trabalho é o algo que nos motiva na vida, principalmente se você fez escolhas que te levaram a uma vida de solteiro. Não sei se fiz estas escolhas ou se as coisas se escolheram para serem desta forma... acho pouco impreciso dizer que somos responsáveis pela vida que temos, uma vez que todo acontecimento não depende exclusivamente de nós. Não é como um fechar de torneira ou acender uma lâmpada acionando o interruptor. Neste momento queria tanto uns dias pra descansar e esquecer do tempo correndo... este lance do relógio que não descansa e faz questão de nos mostrar é um pouco assustador. E deixar o relógio em casa parece funcionar um pouco, mas o tempo passa de qualquer jeito. Não é o relógio que faz tudo andar, ele apenas mostra para nós que tudo voa se tratando do decorrer de um dia. Ser completo é saber produzir e lidar com tudo na vida... e nem tudo é dinheiro, mas a gente vê que as pessoas estão pensando que se tem dinheiro podem tudo. Como se o mundo estivesse aos pés delas apenas por possuírem números em uma conta de banco ou um carro no valor de um apartamento. Engraçado, e prefiro engraçado do que estranho, é olhar alguém tão poderoso com um carro super poderoso esperar o socorro para trocar o pneu quando fura. Na verdade a pessoa não tem poder nenhum... ela pensa que tem e o destino mostra para ela que vai depender de um outro alguém que tem menos dinheiro e que exerce uma função que é a solução. Acho que este post é sobre modéstia e noção de capacidade, não sobre descanso! O descanso, mesmo que seja de alguns minutos, é apenas uma possibilidade para olhar para dentro e para fora. Somos tão ligados no piloto automático que não percebemos quanto somos dependentes de mecânicos, carteiros, feirantes, agricultores, etc. Alguns de nós nem sabem ligar ou desligar um botão... ou fechar um registro. Vivemos a era do smartphone que promete fazer tudo, ensina tudo, capacita todos! No entanto, não temos tempo... somos ocupados e sempre vai ter alguém que serve a nós como se isto fosse uma obrigação! Quantas pessoas dizem: "Tenho o meu dinheiro, mando fazer... não preciso saber!" Espero que o dia depois de amanhã não chegue... somos, muitos de nós, verdadeiramente inúteis. Isto também nos faz patos para muitos prestadores de serviços... que cobram caro para realizar coisas banais ou nem fazem direito por saber que não entendemos. Este não é bem meu caso... tenho muitas limitações, mas fiz muitas coisas por querer, como ser técnico automotivo, marceneiro amador, fotógrafo profissional! Certamente cometo meus erros, com frequência, aliás... este post também parece ser sobre modéstia. Poderia ser tambem sobre o trato... no fim a gente observa que tudo se mistura. Tem dias que nada nos abala... as vezes só gostaria de ficar em casa, trabalhar, estudar e voltar pra casa. O só não me parece muito comodista na minha frase anterior, afinal, me parece mais do que muitos fazem. E sempre faço mais alguma coisa... me preocupo tambem com o todo que dirigi este ano. Por uma questão de me poupar, também por uma questão ambiental, certamente que por uma questão de tempo, me vejo como um motorista na prisão do ter que conduzir por obrigação. E há quem pense que dirigir é liberdade... só que liberdade é ter como escolher, em quais horários realizará. Acho que estou só cansado pelo final de ano... Não vejo a hora de dormir dois dias inteiros e pensar que não tenho nada no dia seguinte, então decidir pegar o carro sem nenhum planejamento e ir na direção de uma praia. O pouso do descanso é um post estranho... não sei se foi uma tentativa de desabafo, se foi uma alusão ou ilusão, um devaneio! Enquanto me distancio de montar minha barraca em algum lugar, me reservo o limite de trabalhar no meu canto... hoje, será mais um dia daqueles com horas a fio em frente ao computador e algumas horas de aula, sem esquecer das dezenas de quilômetros na direção do automóvel. Talvez eu faça uns cliques pelo caminho... tenho feito o meio do caminho, em algum lugar da estrada, parte do meu ferrolho. Parece que ali nada pode me perturbar... bendito quilômetro sem sinal de celular, com luzes de automóveis para ilustrar uma paisagem. Com fotografia de longa exposição... controlo parte do meu tempo.