No lago do Parcão... as aves!


Cada situação da vida nos leva para uma oportunidade única, algumas são situações que jamais serão reprise, outras quem sabe... Trabalhando para um amigo no tradicional parque do Moinhos de Vento, fiquei ao lado daquela natureza que é quase um oásis dentro do cenário mais urbano que Porto Alegre pode ter. Ali, residem animais, em sua maioria aves que não sei identificar. Também estavam sobre as pedras, diversas tartarugas, visivelmente de espécies diferentes. Os marrecos, ao sinal de pipocas caídas no chão, aproximava-se dos humanos para garantir um lanchinho. Pipocas... ora, gordurosas e salgadas. Algumas pessoas ainda imaginavam que um grande favor estavam a fazer por alimentar as aves. Estranho pensar que perdemos a noção de tantas coisas... nos alimentamos mal, dormimos mal... nos comportamos mal, e até insistimos aos animais que nos sigam. Mesmo assim, as aves são sempre muito simpáticas e se torna um prazer de importância estar junto deste resquício de natureza. Felizmente, nestes locais, ainda mantemos a segurança dos animais... que estejam sobre a vista, pq aqueles que não estão, sempre afugentamos. Vamos enjaular todos?

"Urubuservando"

Tava eu... sentado na estrada, sol quente! Motivo? Fotografando ciclistas para a Sociedade Audax de Ciclismo. De longe eu observava dois ciclistas que vinham pela estrada durante uma prova de 200 km. Foi quando eles pararam... um entrou no mato, outro ficou cuidando as bikes. O que foi... voltou, e o que havia ficado, foi na oportunidade que se fez. Pararam por ali, numa sombra, de longe vi... comiam algum lanche que levaram, bebiam. E eu? Eu sentado no asfalto do acostamento da estrada... No silêncio, imperava o ruído do mato ao lado, vento sobre as folhas. Foi então que escutei algo fazendo barulho entre as árvores. Uma ave grande e negra me observava atentamente... talvez pensando que eu agonizava por estar no chão, talvez apenas estivesse descansando. Fiquei olhando para ela... ela para mim, olhos nos olhos. Meio atento, meio curioso, meio com medo! Quem? Acho que ambos! O urubu ficou ali, atento em mim, eu nele... os ciclistas voltaram para estrada, os fotografei, entrei no carro novamente, fiz a volta com o carro. Ao passar pelo local, continuava ali, tal ave, estranha, nebulosa... parecia uma farda da morte, coisas da cabeças dos homens. Na verdade, penso que ela estava apenas repousando, mas afinal, enfeitar a história fica muito mais interessante. Como diz um tio meu que é pescador... "o peixe é meu, ele vai ter o tamanho que eu disser!" Refiro-me a história da mesma forma... conto como quiser, goste quem puder, afinal, peixes e histórias se parecem muito com seus autores!

Os caninos... eles fazem pose!


Quem vivencia junto de cães sabe que estes momentos são bastante comuns. Um cão acostumado com pessoas e sem medo de qualquer barulho que um fotógrafo possa produzir... certamente oferece grandes oportunidades para ser fotografado. Alguns parecem estão sempre prontos, caso evidente destas duas moças. A primeira delas, embora pese menos de 2 kg, não esboça nenhum medo de nós, humanos que a cercamos no cotidiano. Ela oferece muitas oportunidades, e inclusive comentei com minha esposa como apresenta tranquilidade para fotos. Um gramadinho, sol, bota na rua e deixa queimar a energia acumulada. Brinca um pouquinho... logo ela tá pronta pra uma coleção de fotos. Já a grandona aí do lado é também dócil e fácil de fotografar... precisa ter um jeito certo pra isto. Como ela era de rua, depois de adotada ficou tranquila e 100% "fotografável". Atualmente, estas duas, são as minhas preferidas para registrar. Alguém pergunta... "Roberto, têm fotos de cachorros?"
Tenho... tenho de muitos animais, inclusive silvestres ou domésticos de região rural. Ao poucos, dada oportunidade, coloco mais alguma coisa aqui. E eu só sei que é muito bom fotografar animais... elas duas se prestam muito bem para isto, mas têm vários que observo em parques e nas ruas que poderiam ser ótimos modelos caninos. A dica esta dada... deixa o bichinho relaxar, correr, gastar uma energia, e depois parte pra coleção de fotos. 

Onde alcança a vista...


Do alto de um prédio em Teresópolis, prédio pequeno com 4 pavimentos, consegui vislumbrar a vista até onde os olhos puderam! No horizonte vi Guaíba (RS), muito distante, separada de Porto Alegre pelo manancial hídrico mais famoso dos extremo sul brasileiro. Muito embora a vista seja de perfil urbanizado e indústria, sugerido pelas chaminés que desenham o céu com poluição, ainda valorizo a parte que sobra e me interessa. Vejo grande quantidade de verde na imagem... aqui e lá do outro lado, verde abundante, ainda que resistente no declínio cotidiano. Esta é a imagem de onde alcança a vista... por uma canon 7d com uma 70-200mm. Olhos levemente turbinados por tecnologia... alcançam a vista um pouco mais! 

No céu de Teresópolis... Urubus!

Bairro Teresópolis, Porto Alegre, 2014.
No bairro Teresópolis presenciei muitas coisas... Algumas vezes foram assaltos, acidentes e estranhos fatos envolvendo loucos, etc. Contudo, não é apenas a presença negativa do homem uma certeza neste bairro. Alguns anos atrás, vi um lagarto em plena rua asfaltada, Avenida Engenheiro Ludolfo Boehl. Pouco depois meu irmão viu na mesma avenida uma raposa, de madrugada, correndo... nós até brincamos que ninguém acreditaria, contudo, pura verdade. Recentemente, muitos moradores viram um bugio morrer preso a rede elétrica da mesma rua... obviamente, existe algum grupo de primatas na proximidade. Provável que estes animais estejam no bairro devido a existência do morro São Caetano, da APAMECOR. Acredite quem puder e quem já teve a sorte de ver animais ao meio urbano. É raro... não tanto é a presença de muitas aves neste bairro. Todos os pássaros vistos em Porto Alegre podem ser vistos no bairro Teresópolis... Todos os anos observo um casa de falcões cuidando de sua continuidade. Algumas vezes vi estes urubus no alto do céu, "curtindo" as correntes de ar que devem girar em torno do morro. Ontem, eles pousaram sobre um prédio vizinho, ficaram ali, tomando sol, aproveitando a vista. Do topo deste prédio é possível ver o Guaíba. Talvez esta aproximação dos animais seja fruto de exuberante natureza próxima... a gente sente que o ar aqui é mais puro, limpo, diferente das regiões mais centrais da cidade. Desta vez, no céu de Teresópolis havia urubus... animais incrivelmente interessantes pela função específica dentro do sistema natural. Há quem diga, são inofensivos, acredito que sim... 

Jornalista... sem limites!

Brevet 300 km Sociedade Audax de Ciclismo 2014
Jornalista

Um jornalista existe em inúmeras versões... nestas, esta a particularidade irreparável de qualquer forma quando extinta pelo ciclo de vida. Não há um igual ao outro... talvez, parecido! Nós já percebemos estas particularidades quando personalidades se vão. Afinal, o que deve ter ou ser um jornalista? Eu acho, que ele deve ser e viver um objetivo de se expor e coexistir. Alguns serão completamente imparciais, outros serão críticos... alguns serão cinegrafistas, outros serão fotógrafos, ainda existe o diagramador, não diminuímos qualquer das atividades jornalísticas! As áreas são variadas... policiais, esportes, variedades, futilidades! Contudo, existe um tipo de jornalista que é diferente de tudo... ele é um pouquinho de tudo, as vezes muito bom em um adjetivo específico, por vezes, junta duas habilidades. Estes, são aqueles que se destacam, tornam-se indispensáveis aos seus meios e sabores, também aos invejosos que almejam a superação por referenciamento! Alguns são cinegrafistas excelentes, outros são redatores categóricos! Ainda nos habilitados a escrever, ocorrem aqueles fiéis, formais, rígidos como um rochedo! Invejo os colegas... eu sei exatamente meu lugar! Fui medido, aprovado, simplificado... repórter fotográfico! Contudo, tem algo que não vou esquecer e nunca ninguém vai me impedir, tal e qual deve ser o comportamento do jornalista... escreverei para promover a reflexão, diferente, para tentar mudar o mundo, mesmo que jamais ocorra! Escrever é uma habilidade presenteada divinamente... quem tem esta habilidade, e não estou me incluindo ou excluindo da mesma, jamais deveria se permitir evitar a redigir frases transformadoras. Elas pertencem ao mundo... não a categorias, egos e jogos do interesse.


Sem limites

Quando sou convidado para fotografar ciclistas na estrada fico muito pensativo... esta é uma atividade a qual já pertenci em ambos os lados. Eu já fui um ciclista da longa distância, hoje, repousando sem data para voltar, devido a questões diversas, mas não definitivas. Na estrada não temos limite para a mente... a mente voa, despenca uma ladeira que aos olhos parece uma subida interminável! Esta gana de vencer é uma motivação da mente, cuja a origem se desconhece a força, mas que resulta em um efeito fantástico para atravessar a estrada infinita. Infinita? Não... audaxiosos não visualizam a interminável tarefa, custe o que for, eles atravessam o tempo como predadores atrás de um prêmio. O prêmio é um segredo para si mesmos... vc, se não fizer, jamais vai saber o que significa. Desculpe não poder descrever, mas receio que algumas tarefas não são viáveis. Não dá pra descrever esta sensação... vc vai ter que viver a mesma! 

Volta Internacional do RS 2014

Largada
Em frente ao palácio Piratini e a praça da Matriz, aconteceu a concentração e largada da Volta Internacional do RS. Os atletas partiram de Porto Alegre para Torres, no extremo litoral norte do Estado. Por onde passavam os ciclistas e veículos envolvidos, notava-se espectadores curiosos que perguntavam do que se tratava. O evento não foi veiculado em nenhuma mídia, até onde se sabe. Apenas a Revista Bicicleta possuía o representante que vos escreve, também a assessoria de imprensa da prova e alguns entusiastas que tratavam de eternizar este momento ímpar da história do RS. O palácio Piratini estava ali... sólido, majestoso, mas não havia um governador para prestigiar! Nem mesmo isto aconteceu! O país do futebol sempre dá as costas para um esporte que na Europa pulsa emoção e gira fortunas. Na américa do norte, acontece da mesma forma. Aqui, bicicletas são apenas brinquedos... mas para quem viu, pelo menos um pouquinho, percebeu que os ciclistas passavam rápido! Eu vi ciclistas pedalando em ritmo de cruzeiro... em uma média que deve ter variado pouco no primeiro trecho de 70 km, e eles estavam acima de 50 km/h. Eu vi... mas o Brasil esta dando a mínima para isto, afinal, a copa esta aí, e não há nada mais popular que o futebol, então, todas atenções da mídia ampla para ele. 

Pé na estrada...

Ferrovia em General Câmara, 2012.
Todo mundo possui sonhos, aspirações e desejos para colocar em prática. Alguns sonham pertinho, outros longe, alguns bem alto... outros apenas sonham insistentemente o que parece pequeno para tantos outros. Sonho é algo tão particular e de sentido único que não é possível que duas pessoas sonhem a mesma situação. Aliás, alguns sonhos dizem respeito a coletivos de pessoas, outros são totalmente individuais. Talvez exista um momento e um propósito para tudo, mas eu sempre fico curioso quando um autor diz: "I have dream..."
Quando a origem da expressão é uma pessoa brilhante acaba sendo o algo de todas as atenções, mas a verdade é que existem grandes sonhos vindos de pessoas simples, minimalistas e objetivas, e que sempre surpreendem. O sonho pode ser um grande feito para uma pessoa sem nenhuma atenção das demais... e um alguém muito recebedor de atenções pode dizer que tem um sonho que não desperta nada em seus ouvintes ou observadores. Todo mundo deveria ter um sonho, lógico ou conectado a motivos e transformações. Um idealista da liberdade estende seu sonho para muitas pessoas... notável é a capacidade de doação deste vivente, admirável! Infelizmente, muitos dos sonhos são totalmente individuais e beneficiam somente aos próprios pensadores. Contudo, sonho é sonho, denota liberdade, da expressão e do livre total arbítrio. Seja como for... é tão prazeroso ver as pessoas colocando seus sonhos em prática! Sonhos de voar sobre a bicicleta, de um novo trabalho, da total liberdade de expressão, de ir e vir sem sofrimento de qualquer imposição. Em setembro parto mais uma vez para algum lugar longe de casa... não quero trazer nenhum sofrimento a ninguém pela minha ausência, principalmente a família e amigos, mas preciso colocar em prática um parte de mim que anseia por respostas. Toda viagem é uma jornada espiritual... alguns chamam de outros nomes, mas os índios sabem muito bem o fundamento disto. Logo vai ser a minha vez... logo vai surgir novos traçados do destino. Os pés vão doer novamente, a coluna vai reclamar, o corpo vai perder reservas, mas os olhos e a mente vão ganhar algo muito especial... serão reflexões baseadas em novos horizontes e vivência. Haverá dor? Talvez. Haverá ônus? Talvez, mas haverá crescimento e superação? Sim, sonhadores tendem a crescer fortemente durante jornadas espirituais. Faz planos, materializa sonhos... 

Os plátanos de São Francisco de Paula e a vida


Durante um trabalho tive a oportunidade de apreciar as ruas de uma cidade encantadora, São Francisco de Paula (RS). Na rua central da cidade, o pavimento era de blocos de basalto e os canteiros possuíam fileiras de plátanos. As árvores de fácil identificação visual a distância, apresentavam a característica do outono do trocar de folhas. Do verde ao vermelho e posteriormente ao marrom. Significava o fim de um ciclo quer antecede o inverno. A vida se renova, a vida tem em suas trajetória o vigor e a exuberância, como nos potros e pássaros jovens, assim como nos homens, as plantas também. Tudo que é vida esta submetido as leis dos ciclos da natureza... ela realça a passagem dos anos, a paixão, a juventude e também o tempo de duração. Os plátanos me lembram do meu avô. Lembrando dos últimos dias de meu avô, enquanto conversávamos ele disse que estava sofrendo, teve um AVC. Disse pra ele: "Vovô, viver é sofrer, vai passar isto de agora... viver é muito bom!"
Eu queria que ele tivesse superado aquela, mas quis a vida que assim não fosse. Então, anos mais tarde eu percebi que ele se foi pq assim é a regra da vida, talvez para que eu tomasse um lugar na terra, que por vez será de um filho ou neto que um dia terei. Na vida, dor e cor... os sentimentos são compostos por cores, por sinais, por lembranças. Fotografias servem para realçar, para garantir!