As obras do talude e da ciclovia no arroio Ipiranga


           Iniciaram nesta sexta feira as ações para a obra do talude do arroio Dilúvio. A grande máquina que realizará praticamente todas as operações já permanece estacionada na margem oposta ao dano do arroio. O local esta sendo preparado para que na próxima semana a continuidade deste trabalho possa ser executada. Serão realizados reforços para que não torne a ocorrer. A margem oposta esta sendo aterrada para permitir uma profundidade de trabalho viável para a máquina, pois neste trecho o arroio pode rer mais de dois metros de profundidade com as cheias dos últimos dias. O palácio da polícia fica bem em frente ao local, e de acordo com testemunhas, foi a queda de uma árvore que ocasionou o desabamento da contenção. A chuva se encarregou do resto do problema. Estima-se que o trabalho leve cerca de 10 dia, neste primeiro momento, se não ocorrerem novas chuvas. Já os trabalhos de recuperação da ciclovia deve ocorrer assim que os trabalhos do talude estejam finalizados, mas por hora segue interditado o trecho da ciclovia. Nossa coleção de fotos desta pauta esta na posse de Raw Image. 

As cheias pelo Rio Grande do Sul... é mais amplo do que isto!


              
                Jornalisticamente o período de desastres relacionados as chuvas foi um sucesso... Os jornais venderam todo tipo de tragédia e sofrimento com a insistente chuva que "assombrou" o sul do país nos últimos dias. Todos viram os "pecados pagos" por aqueles que possuíam suas casas a margem de mananciais hídricos. O Guaíba esta estufado... não sabe mais onde vai colocar as águas que descem da serra e região metropolitana. Foi água pra ninguém reclamar por uns 6 meses... mas nem é tão simples assim, pq até o verão esta água já se foi, então bom mesmo era que tudo existisse com ponderação do velho São Pedro. Se é castigo ou não, parece, em primeiro momento, que atinge apenas os desfavorecidos. Por outro lado, me pergunto como ficarão as lavouras... será que não foi água demais para alguns grãos, talvez para verduras, ou mesmo para o gado. Por onde passei percebi que o pasto só é visível em locais altos... longe se via o campo coberto de água, no exemplo da BR-448, tal Rodovia do Parque. O gado que reside nestes locais, foi retirado... levado para bandas mais altas, para desta maneira evitar as perdas. Triste mesmo... gado com fome é atraso em produtividade. Alface afogada não vinga... para qualquer mão que já plantou mesmo um tempero verde, saberá que não suportam as hortaliças. E as torres de alta tensão? Acho que não tem problema... acho! Vi pescadores, possivelmente amadores, pescando em lugares que nunca havia água antes. Se deu peixe, não sei... mas é no mínimo estranho e, pouco provável que o peixe seja abundante. Em tempos de Lagoa dos Patos cheia... choram os pescadores da região costeira, pois as larvas do camarão não chegam a entrar devido a forte correnteza de contra fluxo. Sem alface, gado magro, sem camarão, sem milho, nem arroz se mantem forte a 1 metro abaixo dágua... e tudo isto frente a uma forte crise que passa o país, sucessão de péssimas gestões, apresentadas pelos últimos governos, do Federal ao Estadual, pura frustração! E com tudo isto, vi os jornais focados em miséria das perdas de casas abaixo dágua... parece um problema até desfocado! Cá entre nós, não parece falta de inteligência ou talvez aproveitamento da falta de tal adjetivo no leitor? Povo sem virtude... acaba daquele jeito, igual ao hino riograndense. E não pense que não lamento pelos ribeirinhos... pelo contrário, lamento muito, lamento por ver algo que vai além dos problemas do momento destes ribeirinhos. É a economia que esta em perda com tudo isto... e se a oferta diminui, aumenta o preço! Como fica o ribeirinho? Mil desculpas a quem discorda, mas os problemas são mais amplos que o faturamento de um jornal. Se vende um jornal para quem esta no quentinho do lar, com meias secas! E o jornal... só vender quer, não pensa em educar seu povo, mas a culpa recai sobre as escolas. 

Local é interditado pela Defesa Civil e IGP pericia

Muro poderia ter caído sobre pedestres. Foto: Roberto Furtado / Raw Image
            A queda do muro de contenção de um condomínio nobre na zona sul de Porto Alegre esta gerando transtornos aos moradores das casas envolvidas, também aos pedestres e motoristas no bairro. Com a queda da contenção, parte da via foi bloqueada pelos escombros. A Defesa Civil já esteve no local e interditou as moradias e parte da via. Hoje pela manhã, o Instituto Geral de Perícias verificava e coletava dados. "Poderia haver alguém sob os destroços, pois frequentemente são vistos viciados consumindo crack junto ao muro. É apenas uma hipótese, mas não se descarta até a remoção dos destroços!", disse um morador do bairro que não quis se identificar. 

Brigada Militar na zona sul de Porto Alegre

Brigada Militar atenta a solicitação da comunidade. Foto: Roberto Furtado / Raw Image
              O comando da Brigada Militar atende neste momento uma solicitação dos moradores do bairro Ipanema. O bairro é alvo de motociclistas que estão praticando assaltos a pedestres nas vias próximas da rótula da Avenida Eduardo Prado e Avª. Juca Bastista. Nas proximidades estão pontos visados pelos assaltantes, pois há supermercados, agências bancárias, postos de combustíveis... e fora das vias principais o movimento é pacato, que favorece a ação dos meliantes.
As imagens estão na posse da agência Raw Image. 

Chuva contínua e ventos fortes causam muitos estragos na zona sul de POA

Ressaca que atingiu o calçadão promoveu muitos danos na estrutura de lazer dos moradores do bairro Ipanema, 2015.

Muro de contenção desabou sobre a avenida e ameaça alicerce da mansão em condomínio nobre de Ipanema, 2015.
              As chuvas contínuas durante toda semana e os ventos fortes causaram muitos estragos também na zona sul de Porto Alegre. Nesta terça feira pela manhã os moradores de Ipanema foram surpreendidos pelos estragos causados pela "ressaca" que atingiu a orla do calçadão de Ipanema desde a madrugada. No bairro havia outros sinais dos fortes ventos... árvores, telhados e até mesmo casas estavam ameaçadas, como é possível ver nas imagens acima. As imagens estão na posse da agência Raw Image. 

Manifestação da Polícia no Palácio Piratini



                   Não preciso nem comentar... segurança é o mínimo que o povo merece! As imagens estão falando pelas polícias... bombeiros, agentes da Susepe, etc. As imagens estão com a agência Raw Image. É sempre bom fazer fotojornalismo de verdade...

Aqueduto de Candelária

Aqueduto de Candelária, 2015.
             Ao realizar a cobertura fotojornalística do XCM de Candelária, aproveitei e fiz este registro que atravessa os tempos... o Aqueduto de Candelária. Construído por volta de 1870, o aqueduto movimentava as rodas dágua do moinho com as águas do arroio Molha Grande. Utilizado para ferramentas, como serras, moedores de milho, trigo e erva mate. Também para descascar arroz... são histórias, relembradas por este Andarilho. Bom é conhecer as cidades da casa da gente, para entender, valorizar e perpetuar bons costumes.