Perspectivas... unidade individual de valores!

            Há muito para ser dito sobre fotografia e fotojornalismo no assunto perspectiva de um observador. O que cada um cria de modelo ideal para tudo, funciona como uma "regra" de jogo para o cotidiano. Não entendo como as pessoas conseguem olhar para as coisas e sentirem-se conhecedoras dos fatos. E aliás, o assunto nasceu das reflexões sobre o andamento de tudo que acontece com e para o governo brasileiro. O momento é uma via cujos limites não estão claros... e se vcê me permite dizer, não estou vendo razão nem no governo deposto e nem no governo que se monta como oportunista. E acho que estar sem escolher um lado ou outro não é estar em cima do muro, tampouco aprovar um dos lados. Estão sendo aplicados golpes não democráticos no Brasil há tempos... eles começaram na construção desta nação e estão sendo praticados até hoje. E não estou falando apenas do "golpe de estado" que Dilma aborda... me pergunto se não foi golpe produzir um referendo à respeito do desarmamento e não cumprir a decisão do povo. Ora, o povo disse queria uma coisa e foi realizado algo muito diferente, sem medo de ser um governo ditador, se disse não ao povo que foi as urnas para opinar. Este foi um dos casos mais clássicos da ditadura brasileira em plena gestão do governo de esquerda. Por outro lado, agora se fez o mesmo sobre a escolha da reeleita Dilma. A justificativa para remover ela é infundada, de igual forma como o referendo. E me pergunto se neste golpe do desarmamento não estaria uma intenção para caso do golpe contra Dilma que acaba de ser vivenciado... como é preciso esperar o período de uma decisão final, pois ela esta apenas afastada temporariamente, pode haver sim um novo golpe de estado, como muitos já comentaram em rádios, sobre um problema político que ganharia as ruas. Uma guerra civil não seria surpresa... afinal, isto seria apenas o replay de tudo que já aconteceu no planeta Terra. Agora, pode ser sim um devaneio total... pq não, eu já pensava que este impeachment poderia acontecer muito antes desta reeleição, já não entendia este desarmamento de povo contrariado e, agora não duvidaria se os depostos formassem um guerrilha para retomada do poder. O que nós, cidadãos não políticos, observamos são dois grupos interessados no poder, ambos sem o pleno direito e condições de cuidar de uma nação, brigando. E quem fica no meio, que não quer levantar bandeira nenhuma... fica encolhido, com medo, pq não pode manifestar "nenhuma" opinião sem que sejam categoricamente nomeados como "em cima do muro" ou de acordo com a conveniência ignorante e preconceituosa de lhe ser imposta a veste da oposição do acusador.  Sabe que eu acho? Acho que isto não é democracia... vc me chamar de esquerda ou de direita, ou simplesmente não me aceitar, não coloca em jogo nenhuma mudança, nem para o país, nem para mim. Acho, que todos vcs que observam o povo apolítico como conhecedores da plena razão, sem ter o direito a tal decisão, nos transformam unidades idênticas. Isto é preconceito... isto é se julgar sábio sem ser, isto é subestimar à todos, é criar uma situação onde os cautelosos se tornam aberrações políticas. Alguém próximo vir a mim e dizer que tem vergonha de mim pq eu penso assim... bom, tenho tristeza por me colocares em uma situação onde eu não poderia pensar por mim. Só que... aliás, eu posso, eu tive alguma educação, eu vivi coisas que me colocaram em reflexões que outras pessoas não viveram. E o fato de eu ter vivido tais situações e experiências, infelizes ou corriqueiras, me deixaram no formato único, de ser humano. Sou uma "unidade individual de valores", tenho meus próprios valores, pensamentos, jamais estudei direito ou outra lei, mas garanto que não preciso para saber o que é bom para mim e para os meus. O livre arbítrio é uma condição especial de liberdade que se traduz em democracia em muitos aspectos, desde que... note, desde que, não fira ou prejudique ninguém. E quando falo em não prejudicar... serve para seus rótulos insolúveis e saturados!  Sabe o que faz o conhecimento especial? O fato dele nos dar entendimento e compreensão sobre o mundo, em algum aspecto e, dele brotar não apenas decisões específicas sobre sua ciência, mas também de oportunidades corriqueiras. Não sou dono nem gênio, mas eu tenho certeza de que muita gente vai concordar com meu posicionamento... 

Um corte no vento

            
            Nas reflexões... e nelas me deparei com uma lembrança. E coisa boa uma lembrança... e se você realmente saboreou o momento, tuas lembranças podem ter sensações de calor ou frio, toque do vento, brilho do mar, das gotas, reflexo nos olhos de alguém... e foi aí que percebi que a gente envelhece aos poucos, de acordo com a vivência. É algo justo... merecido! Você viveu, aproveitou... não viveu, desperdiçou! Eu me vejo sempre na estrada com aquele olhar do videogame, com a perspectiva de um terceiro, um espectador que esta no comando, ou pensa que esta na condução de uma vida. Mero engano... meu, teu, de todos que assim pensam! A gente não manda em nada... nós tomamos decisões, mas elas estão acometidas do acaso. As coisas vão se montando, como num quebra cabeças de peças em movimento. Não dá pra saber formato e andamento de algo que se transforma em toda trajetória, durante todo tempo. Isto é a vida... você vai se casar, se separar, vai cair de bicicleta, vai conhecer alguém que surpreende você, vai ver animais realizando "tarefas" que nunca imaginou. O vento vai soprar sobre as coisas, como se estivesse vivo... vai te fazer pensar que alguém acima de você decide por coisas que aparentemente são incontroláveis. E eu não estou falando de um ser supremo... eu não acredito em um Deus como as pessoas geralmente se posicionam. Eu vejo de uma forma que não ousaria descrever... eu não espero ser valorizado ou punido por alguma paternidade invisível. Eu faço as coisas da forma certa, sob minha perspectiva, pq acredito que isto me faz bem. Eu me desloco por esta superfície que chamamos de Terra e tento observar tudo, fotografar tudo que me causa curiosidade, até que tudo seja conhecido e banal, para então não haver mais nada novo. Sabendo que isto é impossível, mesmo que eu pudesse viver cem anos para tal, e sei que devo chegar aos 80 se tudo der certo, vou ver um bocado de coisas... e no fim isto vai representar, talvez, a centésima fração da existência ao meu redor. Tem gente que tem coragem de olhar pra rua e dizer que não acontece nada... eu fui fazer uma pauta, hoje, quando eu voltei para carro tinha um aracnídeo com mais de 10 cm  no meu caminho. Era uma Caranguejeira adulta jovem. Eu já caminhei pelas ruas até meus pés doerem... caminhei até onde as pessoas não acreditaram. Eu tive sempre muita fome de ver... e eu vi muita coisa. E eu não sei parar... e não vou. E é por isto que sei que sou um fotógrafo com a habilidade para contar o cotidiano... Eu sou um fotojornalista pq eu senti o gosto do vento, com um corte que fiz por ali estar... meu corpo cortou o vento, como um pássaro desenha o ar. O que não parece ali estar, pode ser provado através de uma outra existência. De outra forma, pássaro não voaria, e eu não sentiria o gosto do vento. 

Whatsapp... ferramenta indispensável no fotojornalismo?

Tema: Aplicativo Whatsapp e os negócios, sugestão de pauta. Fotografia Roberto Furtado, 2016.
           Outra vez o aplicativo Whatsapp ficou na mira da justiça... A decisão do Juiz Marcel Montalvão, da comarca de Lagarto (SE), é para suspensão total do serviço por 72 horas. A determinação judicial, novamente se relaciona com a não colaboração do Facebook com uma investigação. 
Com a suspensão temporária do serviço gratuito mantido pelo Google, muitos negócios são prejudicados. O aplicativo tornara-se uma importante ferramenta na transmissão de dados, informações e conversação entre colegas e homens de negócios. No hotnews muitos são os jornalistas que utilizam o sistema para receber e passar informações de trânsito (acidentes e congestionamentos), também sobre corriqueiros do cotidiano, etc. 
Esta nova determinação judicial é, do ponto de vista de muitos profissionais, egoísta e equivocada. É como vc pedir para um aeroporto mudar o planejamento dos horários pq o presidente resolveu viajar de última hora. É uma centralização de poderes que assusta quem depende de serviços e "formatos" de funcionamento do cotidiano. "Chega então a fada madrinha e muda tudo pq a Cinderela precisa...", disse Paulo ....... , que não quis ser identificado. Disse ao Paulo: Tua abordagem é muito boa, pq não queres que eu dê o crédito desta frase? E ele respondeu que no Brasil tem medo de ser perseguido por dizer a verdade. E dou o direito a ele... A pauta não vendi, mas consegui uma boa conversa e uma ótima reflexão. Pensamentos de um Andarilho...