About things

Nymphoides spp, litoral do RS, 2007. Fotojornalista @betoandarilho #braziliansnapper #fotojornalistabetoandarilho
                  A maior válvula de escape esta dentro de nós mesmos... Desde que comecei um novo ciclo de mudanças, e tenho isto de tempos em tempos, percebi que as "receitas de bolo" sobre estes assuntos são meio que experiências de cada um que as pessoas pensam que servem como padrão para ser aplicadas aos demais desafiadores. Não... não servem, mas é possível aprender muito com isto. Atualmente, o motivo mais comum que me leva as reflexões é o crescimento interior... eu preciso, quero e posso, afinal, estar estático é uma situação para os inanimados.  Vejo muitas pessoas tentando fazer isto... a grande maioria não sabe como fazer, algumas até pensam que estão conseguindo, outras nem tentam, e por diante vamos com infinidade de variáveis. A situação mais irritante que tenho visto, e acredito que de pouco resiultado, são estas frases prontas com efeitos de moralidade ou de princípios e valores. As pessoas jogam isto na internet, frases prontas, e me pergunta se elas realmente pensaram nas questões que estão envolvidas antes de publicar. Eu não sei se elas estão realmente procurando uma válvula de escape, ou alguma teoria sobre conspiração interna e seus muitos conflitos, ou se estão travando uma luta silenciosa contra algumas pessoas ofertando pequenas letras ou recadinhos subentendidos. Eu apenas percebo que isto não leva estas pessoas aos lugares qe elas gostariam, pq vejo que elas não param de fazer isto, não parecem encontrar a paz que tanto almejam. Embora isto pareça muito inapropriado, pq cada um vai ter sua filosofia e caminho para encontrar o seu próprio local de paz, tento seguidamente compartilhar as minhas experiências e reflexões aqui neste blog devaneio que se mistura entre meus trabalhos fotográficos e minhas teorias sobre os caminhos internos. Encontrei um lugar muito interessante, que foi montado por pessoas que compreendem minha vida, por situações que eu criei, com fundamentos que me pareciam translúcidos. Há um amigo, psiquiatra brilhante, que certa vez me disse: "encontraste um caminho que te cura... fizeste tuas próprias soluções quando passou a escrever sobre isto!"
Foi então que percebi que utilizei os mesmos caminhos que muitos, só de uma forma mais sofisticada, pois eu não utilizava os passos alheios para justificar os meus... eu criava minhas próprias estradas e roteiros. Sei que muitas pessoas são capazes de fazer o mesmo, afinal, eu não sou dono de uma razão formatada, tampouco me acho brilhante para chegar aqui. Contudo, se posso utilizar minhas reflexões como base para ajudar alguém, seria justamente isto que me agradaria fazer. O que são os textos de auto ajuda? Bem, eles são marcadores, eles são os "check points", endereçados, que já citei outras vezes em meus devaneios. O melhor entendimento para a gente saber para onde ir é começando por saber onde esta... e o segundo passo é saber o que precisa! A direção é uma consequência disto... pense bem sobre frases prontas! Como elas realmente te ajudam...
Tenho isto de ser um autodidata para assuntos de real interesse e, por isto, sempre sincronizo meu trabalho, meu lazer, analogias entre estas ciências, também efetuo reflexões para alcançar o meu nirvana, se é que isto é possível! Só o que posso dizer... estamos todos sozinhos e ao mesmo tempo todos acompanhados. Sozinhos pq esta estrada só pode ser percorrida por ti mesmo, acompanhados pq se vc olhar pro lado, sempre poderá ter um amigo. E não seja egoísta... não esqueça, que o egoísta é aquele cara que muitas vezes se vê sozinho por ter muito pouco a oferecer. Então comece por se amar e se compreender, externe todo o amor aos próximos de vc, e então observe o amor retornando. Isto não é um papo moldado por religião... eu sou um errante sem doutrina estabelecida. A minha única escolhe religiosa esta em respeitar a mim e aos demais, e promover a paz que eu gostaria de receber. Sobre as coisas... bem, eu gostaria de pensar que elas são bem simples e com isto torno parte delas bem fáceis de serem compreendidas. Optei por este pensamentos e acho que por isto me tornei um ser humano de paz, ouço sim coisas das pessoas de como sou gentil, querido, afetuoso, mas sei que tenho tanto a aprender que não me considero algo mais do que um aprendiz. Humildade é a chave de tudo... quanto mais cresce este sentimento em mim, mais aprendo. E faz muito sentido...

A minha mensagem... um excelente 2017!


Estágio para Jornalistas, CCOPAB, 2016.
           Bem, vamos lá... neste instante estou com os olhos cheios de lágrimas, de alegria! Encontrei o maior valor que um ser humano poderia... ou pelo menos este foi o maior valor que eu encontrara até agora. O valor da amizade, do amor entre amigos. Este ano, trabalhei menos que em 2015, mas eu vivi muito mais. Estive com as pessoas certas... o ano não começou bem, teve uns tropeços e mau tempo, mas depois deste período veio uma ladeira que me colocou numa velocidade que eu nem podia controlar. As pessoas entraram na minha vida, tão intensamente e lindamente, e eu só consegui atribuir isto a um presente. De quem foi... bom, cada um com suas crenças. Acho que o universo conspira a favor de quem esta interessado em amar. Não fui nem um pouco econômico no amor em 2016... e me foi devolvido amor dobrado, no mínimo. É uma situação louca que a gente aprende vivenciando. É no mínimo muita sorte... e com tanta sorte no amor, certamente não terei tanta no jogo, mas como vc me conhece, sabe que não estou nem um pouco preocupado, apenas zoando!
Eu queria ter um sistema de teletransporte para poder beijar cada um que esta nesta foto e todos os demais que conheci e com quem sorri até agora. Dar uma abraço apertado e um beijo em todos meus amores, sentir o calor do abraço, me arrepiar pelo carinho e dizer pessoalmente coisas que nunca digo. Sim, eu não disse coisas a vcs, pq sou de uma timidez absurda, mas isto estou resolvendo aos poucos. Espere um Andarilho muito diferente para o futuro, muito mais comunicativo. Eu não esqueço de cada sorriso que me foi dado... seja por esta turma linda, seja por vc que conheci em outro lugar, não diminuiria ninguém nesta história. Espero que nossos caminhos se cruzem novamente um dia... e a maior lição que recebi foi com relação a esperança. Por causa de todos vcs eu passei a acreditar que o mundo esta evoluindo. Gostaria de pegar nas mãos, de abraçar, beijar, papear, tomar um chimarrão, sentar em uma praia e ao cair da noite beber uma cerveja com todos vcs. Vcs são lindos! O fotojornalismo me deu amigos, completou minha vida. A bicicleta me carregou para muitos lugares. A amizade me trouxe conforto em todos os momentos... 
Meus amigos queridos... terminamos o ano em paz! Estarei nos canais sempre esperando um pedido de ajuda, um colo, um abraço, um convite para farra! Não há vida sem vcs... pq vcs são a vida! Desejo aos queridos, muita paz, saúde, realizações e andanças... pq quando se anda, se aprende! Sabedoria só surge na estrada... esta dada a minha mensagem! Cultivem o amor, e o amor virá até vcs!
Bj e abraço apertado!

Beto

Carregado pelo vento...

Foto: Roberto Furtado
         Quando voltei do Rio de Janeiro, senti o peso de grandes mudanças dentro de mim... Fui fazer um estágio de preparação para jornalistas em zona de conflito. E não tenho certeza de que estou preparado para viver qualquer situação tensa e hostil, mas sei que vou sobreviver por algum tempo mais ou até mesmo me sentir mais tranquilo para enfrentar o pior. Foi o treinamento... foram as palavras dos militares instrutores, dos amigos que fiz lá, a tensão de simulações, o ardor do gás lacrimogênio, a mudança de hábito, a dor do afastamento, o medo do futuro e outras situações que me transformaram em algo diferente. Eu não tenho o mesmo sorriso há algum tempo, me dizem isto! Contudo, acho que ainda sou o mesmo "molenga", coração mole! Tenho corpo forte para o porte, tenho mente de quem já fez um audax, de quem passou frio e fome, talvez medo da morte, e de uma dor que não esqueço. Eu senti muita dor certa vez... e acho que o fato de ter me machucado e ter feito mais 130 km pedalando, mesmo estando com o ombro arrebentado, me fez mais forte num treinamento da vida real. As enxaquecas que são coisa do passado, também tiveram cota de importância... aliás, me pergunto pq nunca mais tive! Seja como for, todos estes experimentos, verdadeiros ou simulações, tornam-se grandes oportunidades para nos transformarmos em pessoas mais resistentes e aptas. Eu me sinto, hoje, carregado pelo vento... eu não me abalo por qualquer coisa. Eu só tenho uma fraqueza... meu coração mole! Eu tenho o coração mole... sei que posso apanhar até contar alguma coisa, pq a tortura seria apenas uma questão de tempo. A tortura é convincente... eu aprendi isto no curso. O tempo que vai levar pra vc ceder é uma incógnita, mas ele é o fato, vc vai falar, vai ceder! Fora do estágio, longe do Rio de Janeiro, fui submetido a um teste de vida. Eu fui submetido a uma condição de tortura... eu resisti, e isto não adiantou. Eu segui resistindo, mas chegou o momento em que falei o que não queria falar. A pressão psicológica é das piores torturas que existe... e você fala, é questão de tempo. Não interessa se foram 8 meses, não interessa se foi no primeiro dia... vc fracassa, não importando o tempo que levou pra isto. Acabei aprendendo que a saída é negociar... O que vc quer? O que posso oferecer em troca do cessar fogo? Isto faz parte do meu passado, pois já estou livre disto. A gente não esquece, a gente se ergue, se arma pra vida, e se volta contra as ondas do mar. Eu sou um prancheiro... eu entrei em mares revoltos puxando linha de pesca, contra corrente, contra as ondas, contra o frio, com medo, com receio de não voltar. Há duas incessantes questões durante as dificuldades... uma mentindo pra vc que é possível, outra mentindo pra vc que não consegue. Lidar com as duas é uma questão de estar preparado... e a única questão que é garantida para quem se submete a vida é que vc vai ir e estar cheio de incertezas. Vc pode, vc consegue e deve tentar, mas o medo existe. Como diz a música... "A dúvida é o preço da pureza, e é inútil ter certeza!" (Engenheiros do Havaí). Eu me sinto tranquilo, qualquer que seja o fato... me sinto carregado pelo vento, sem saber onde vou parar, mas sei que pra deixar uma marca no mundo vai ser preciso muito mais do que simplesmente clicar. Vai ser preciso enfrentar todos os demônios da estrada, e talvez nenhum deles seja meu mesmo, mas ainda assim terei que superar todas as adversidades. E ainda assim vai valer a pena, independente do resultado! 

Memórias e reencontros...

Estrada, RST-101, Capivari, RS. 
        Ontem, falei novamente com uma amiga depois de muitos anos. Eu conheço ela desde pequeno, quando éramos crianças. Me lembro dela pedindo e ganhando pirulitos ou balas ao motorista do microônibus escolar que nos levava para casa. O seu Antenor dirigia aquele ônibus cheio de crianças e nos transportava com carinho... e lembro sempre da minha amiga, na parte mais frontal do veículo, perto do motorista. Ele era um grande conversador... e a 30 tantos anos atrás não existia esta proibição do motorista conversar com passageiro, ou pelo menos não parecia que era diferente. Ela vinha sentada ou em pé perto do seu Antenor... e eu, sentado mais atrás. Estranhamente, eu a cuidava, eu vinha sentado nas poltronas da frente, possivelmente terceira fila. Anos mais tarde, uns 10 anos... nos tornamos namorados. Eu mantinha estas lembranças guardadas enquanto fui casado, pq pensei que seria desrespeito falar sobre isto. E também acho que estou ficando velho e emotivo... eu sempre ouvi que coração humano endurece com o tempo, mas acho que o meu nunca foi tão amolecido. Me tornei um quarentão, chorão, apegado as lembranças! Depois de uma série de acontecimentos, aprendi a valorizar o presente. Digo se amo no presente, vivo o sorriso do presente, me divirto no presente, mas adoro pensar no futuro, e mais ainda no passado. Tenho falado muito sobre estas questões temporais... estou me divertindo muito, me reinventei pq faço coisas que nunca imaginei fazer um dia. Venho lapidando minha vida como um errante... eu aprendo todos os dias, estou muito apegado aos meus amigos, sinto saudades de tantos, as vezes até dói! Então tive a feliz oportunidade de conversar com esta minha amiga, que já foi namorada! Ela vai muito bem, casada, grávida, em crescimento profissional, a mesma querida de sempre! Ontem falei com ela, por esta máquina que vos escrevo, um bom papo, saudável, positivo, maduro! É bom saber como as pessoas de nossas memórias vão... elas vão, mas elas aparecem, as vezes.  Eu, caminho em carreira solo... tudo muito novo, tudo diferente, vivencio amizades, tomo minha cervejinha de vez em quando, dou umas risadas boas e libertadoras. Estou reaprendendo, vou bem, muitas vezes não poderia ser tão perfeito. Aprendi que amor é um sentimento que vc tem pelas pessoas, quer seja um amigo, família, namorada, esposa, filhos dos amigos! Amor é um sentimento libertador, te livra do peso, gera esperança e alimenta o presente. Eu caminhei muito pra chegar até aqui... acho que cheguei na metade da minha vida, imagino tudo que me aguarda. Cada aventura que vivi carrega um sorriso de um amigo, eu sempre fui de fazer amigos, mesmo que sempre tenha sido tímido! Por onde andei, amei, também errei, mas aprendi... e com meus aprendizados vieram grandes realizações pessoais. Não há maior medalha no mundo que o amor... agradeço aos meus amigos e família, amores que fiz nesta estrada, por todo carinho e aprendizado. Gratidão é o sentimento que transborda em mim, neste momento. E a sensação que tenho é de muita paz... 

Como mudei a minha vida... (parte II)

Cânions em Cambará, RS. 
          Uma perspectiva diferente sobre as situações do cotidiano... acredito que mudanças se relacionam com estas perspectivas e novos entendimentos. Como enxergamos os fatos da rotina? Bom, na outra abordagem sobre isto, descrevi esta questão temporal dos fatos. Algo distante e algo ao alcance da mão... é comum a gente vislumbrar situações que estão distantes da gente. Podem se relacionar com presente e futuro, mas se encaixa em outras questões e agora explico. Se você estiver junto de uma árvore frutífera, vai querer pegar os frutos que estão ao alcance da mão ou os que estão nos galhos mais altos? Acho que alguns vão pegar os frutos ao alcance da mão, outros vão querer alcançar os frutos que estão além da extensão dos braços. Vc pode perceber que isto é uma realidade quando a gente esta em um grupo de pessoas... amigos ou conhecidos em uma situação de coletivo, apresentarão, sempre, comportamentos distintos. Acredito que todos concordam que teremos sim estes dois pensamentos entre um grupo junto de uma frutífera, e estou sendo extremamente simplista e desconsiderando a infinidade de degraus que distancia estes perfis. Nós podemos colocar uma relação de equivalência das pessoas que vivem o presente sem pensar no futuro para aquelas mesmas que pegam os frutos que estão ao alcance da mão; Um segundo grupo vai desejar os frutos distantes, e serão as pessoas que tentam coisas mais inatingíveis no momento presente, mas que em alguns casos conseguem objetivos diferentes. Não estamos aqui pra dizer que A ou B estão 100% corretas ou equivocadas, mas estes são caminhos motivados por escolhas, sejam de natureza própria ou de desenvolvimento em vida. Certamente, você vai se encaixar em uma das perspectivas, e em alguns casos pode ser até nas duas, dependendo da tua evolução e forma de encarar o mundo. Até um passado muito próximo, me encontrei na situação de buscar situações distantes ao meu alcance. E isto é um fator desconstrutor da confiança, pq no decorrer da estrada ocorre a mudança de direção devido a situações que não dependem de nós mesmos... e por isto, muitas vezes quem se projeta no futuro acaba se frustrando. É impossível alcançar frutos do alto quando eles estão fora de alcance e se vc não possuir o tempo necessário para construir esta escada. A vida é assim... vc precisa de tempo para certos projetos, mas nem sempre este tempo nos é dado, e pior, nem sempre as ferramentas estão todas disponíveis no momento em que precisamos. Não estou dizendo que não devemos criar perspectivas para o futuro, não estou garantindo que muitas vezes as coisas não saem como queremos, mas posso dar certeza sobre a imprecisão da sucessão destes objetivos. Não existe precisão no que diz respeito a vida, menos sobre situações de longo prazo. Esta é uma perspectiva que mudei em minha vida... diz respeito a imagem ao alto. Eu posso desejar ir até o outro lado do cânion e curtir a vista quando lá chegar, ou posso apreciar o que está ao meu alcance. Posso tocar este campo onde piso, apreciar a vista da onde estou; ou posso desafiar-me para fazer o mesmo quando chegar ao outro lado. Pq eu escolheria o caminho mais difícil... pq não escolher o agora no lugar do futuro? Quer dizer que não devo fazer planos? Não, não é isto que eu disse... eu disse que vc deve apreciar o presente, mesmo que ele seja parte de um futuro. Não devemos ter perspectivas de felicidade apenas em um futuro... não devemos pensar em nada como futuro. Podemos sim ter um presente que seja construtor de um futuro, mas este, deve ter lógica existencial em um presente! Eu posso pegar os frutos próximos e ir construindo uma escada no tempo, aos poucos me transporto para um presente que antes era futuro, portanto, há uma forma especial de ver tudo. Sem frustrações, sem perspectivas vazias, dando valor ao que possuo no pertencente, sendo meu próprio e feliz presente. Das mais belas coisas da vida é a própria apreciação do mundo no tempo em que pertenço! Eu sou um andarilho, eu penso, eu existo, sou meu próprio caminho!