Empreendedorismo é uma questão de fazer

Arroio Dilúvio junto do Guaíba, por do sol da cidade de Porto Alegre. Foto: Roberto Furtado
Este texto é um trabalho para a disciplina de Empreendedorismo (EAD).

A verdade é que o presente momento é bastante desafiador. Ao entrarmos em uma fase de grande concorrência devido as demissões coletivas e frequentes da indústria e do comércio, nos deparamos com uma série de questões difíceis de lidar. Dentre elas podemos apontar esta concorrência de mercado e profissionais desesperados para fechar negócio. Logo, este é um problema que derruba o valor do trabalho dos profissionais autônomos. É possível contornar algumas dificuldades, explicando aos solicitantes do trabalho que há uma questão de qualidade, comprometimento e outras vantagens existentes nos profissionais que cobram um valor maior. É importante que fique claro, que em muitos casos pode não haver um motivo para se cobrar um valor maior, mas em outros há. O trabalho com custo elevado pode ter um motivo importante, como investimento em equipamento e estrutura de melhor qualidade. Aliás, investir e oferecer mais... isto é empreender! As dificuldades presentes do momento pedem um bom jogo de cintura, uma inovação, uma metodologia persistente e eficaz. Não é garantia que isto traga resultados esperados, mas é um caminho para diferenciar um trabalho de todos os outros. As políticas públicas precisavam ser mais favoráveis, pois sabe-se que empreender no Brasil é sinônimo de enfrentar burocracia, tributações elevadas, sem contar com a pressão piscológica que vive o cidadão, seja empregado ou autônomo, pois as redes sociais e os jornais estão sendo bombardeados, quase que diariamente, com notícias pessimistas sobre o mercado e a estabilidade da economia. Com estas especulações nota-se a variação da bolsa de valores, instabilidade em combustíveis e outros consumíveis que resultam em alterações dos valores de mercado. Por este motivo seria bastante importante o Estado oferecer um cenário estável para que o empreendedor encontrasse condições favoráveis... bem, agora chegamos na questão. Temos condições favoráveis? Não, não temos... e o que podemos fazer? Podemos trabalhar com esta condições e criar alternativas para que possamos nos desenvolver dentro deste cenário. Partindo do princípio que a maioria dos profissionais não faz isto ou esta acomodado usando alguma receita de bolo, precisamos perceber o que há no mercado que não esta sendo atendido ou algo que possa a vir ser consumido por esta população (nosso alvo). Falando de profissionais de fotografia (meu curso), penso que devo oferecer algo incomum, pois se eu oferecer o que todos estão fazendo, precisarei trabalhar na faixa de valor que os demais estão fazendo. Então, se eu criar algo novo, como um pacote de fotografias com estilo diferente e com algum tipo de "vantagem" ao olhar do cliente, possivelmente vou conseguir conquistar esta venda. É desta forma que vejo empreendedorismo... eu vejo o ato de empreender como um ato de me fazer necessário, de me adaptar e ser quem esta ali pra atender o cliente. Empreendedorismo é uma questão de fazer, fazer a diferença!